Brasil

Sobe para 134 o número de mortos em Brumadinho

Sobe para 134 o número de mortos em Brumadinho

O número de mortos após a rutura de uma barragem em Brumadinho, no sudoeste do Brasil, atingiu os 134, estando ainda desaparecidas 199 pessoas.

Questionado sobre a possibilidade de não serem retirados todos os corpos da lama, o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, admitiu esse cenário.

"Nós trabalhamos o mais rápido possível para encontrar o maior número [de corpos]. Só que, evidentemente, pela característica da tragédia e a situação biológica de decomposição, estimamos que, infelizmente, alguns corpos não serão recuperados, mas trabalhamos para que seja o menor número possível", disse o tenente, citado pela plataforma de notícias G1.

O Instituto Médico-Legal já conseguiu identificar 120 dos corpos resgatados, uma tarefa que não tem sido fácil devido ao avançado estado de decomposição que os corpos apresentam.

As buscas foram retomadas na tarde desta segunda-feira, depois de terem sido suspensas devido às fortes chuvadas que caíram durante a madrugada, informaram fontes oficiais.

Construída em 1976, a barragem que rompeu no passado dia 25 de janeiro tinha capacidade para armazenar cerca de 13 milhões de metros cúbicos de resíduos ferrosos e água, que arrasaram, além da área administrativa da empresa Vale no local, casas, granjas, pousadas e estradas em poucos minutos e com uma força descomunal, como se se tratasse de um tsunami de barro.

Os trabalhos de resgate são complexos e estão a desenrolar-se de uma forma lenta devido à dificuldade do terreno depois da tragédia, pois há zonas em que a lama chega aos 20 metros de altura, apesar do desespero dos familiares das vítimas desaparecidas.

O desastre ocorreu apenas três anos depois de outro semelhante ter acontecido em Mariana, município também localizado no estado de Minas Gerais e onde a rotura de vários diques da mineira Samarco, controlada pela Vale e BHP Billiton, provocou 19 mortos e uma tragédia ambiental sem precedentes

Outras Notícias