imigrantes ilegais

Socorro a naufragos no Mediterrâneo "não se resolve no mar"

Socorro a naufragos no Mediterrâneo "não se resolve no mar"

O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, general Pina Monteiro, afirmou esta terça-feira que Portugal tem apoiado o socorro a naufrágios no Mediterrâneo, mas que "não vai ser no mar que este problema vai resolver-se".

"Estou certo que o Governo vai continuar a apoiar as missões das Nações Unidas, mas não vai ser no mar que este problema vai resolver-se", afirmou Artur Pina Monteiro numa audição no Parlamento, em que acompanhou o ministro e a secretária de Estado da Defesa.

Depois de questionado pela deputada bloquista Mariana Aiveca sobre o combate à imigração ilegal no mar Mediterrâneo e sobre as tragédias recentes com a morte de largas centenas de pessoas, o comandante das Forças Armadas portuguesas contrapôs que Portugal tem participado com vários meios ao longo dos anos nas missões europeias.

"Temos ajudado com um navio de patrulha oceânico, um avião C295, um avião P3 e também com um submarino, em colaboração com outros países", afirmou.

Pina Monteiro afirmou, ainda, que os largos fluxos migratórios no sul da Europa decorrem da situação de tensão que se vive em países como a Líbia.

"Certamente que os imigrantes vão tender a fugir para Norte. Não é no mar que existe o problema", insistiu.

Outras Notícias