Bielorrússia

Suíça nega qualquer envolvimento no desvio do avião para Minsk

Suíça nega qualquer envolvimento no desvio do avião para Minsk

O Ministério dos Negócios Estrangeiros suíço negou esta quarta-feira qualquer envolvimento no caso do desvio de um avião comercial para Minsk no domingo.

Num curto comunicado publicado na rede social Twitter, o ministério federal suíço lembra as declarações do Presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, que afirmou que o falso alerta de bomba a bordo, justificação dada por Minsk, foi feito a partir da Suíça.

"As autoridades suíças não tiveram qualquer conhecimento sobre um alerta de bomba no voo da Ryanair entre Atenas e Vílnius, pelo que não houve nenhuma indicação a esse respeito dada às autoridades bielorrussas", lê-se na declaração.

O porta-voz do ministério suíço, André Simonazzi, acrescentou, por seu lado, que o Governo federal condenou "veementemente o incidente" e exige uma investigação internacional.

Lukashenko, citado esta quarta-feira pela imprensa oficial bielorrussa, assegurou que a notícia de que havia uma bomba no avião veio da Suíça e que, após recebê-la, se decidiu agir de acordo com a lei e com as normas internacionais para proteger os passageiros.

O desvio do avião permitiu às autoridades bielorrussas deter, no aeroporto e Minsk, o jornalista da oposição Roman Protasevich e namorada, Sofia Sapega, que viajavam naquele avião com destino à capital lituana.

PUB

A comunidade internacional considera que a aterragem forçada do avião foi uma operação das forças de segurança bielorrussas para prender o jornalista, cuja libertação imediata foi exigida por grande parte da comunidade internacional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG