Espanha

Supremo absolve Garzón de prevaricação por investigar crimes do franquismo

Supremo absolve Garzón de prevaricação por investigar crimes do franquismo

O Tribunal Supremo espanhol absolveu hoje o juiz Baltasar Garzón do delito de prevaricação, de que era acusado por se declarar competente para investigar os crimes do franquismo, disseram fontes judiciais.

As mesmas fontes confirmaram que a decisão foi adotada por maioria, com seis votos a favor e um contra e que será notificada às partes a partir das 13.30 locais (12.30 em Portugal continental).

Baltasar Garzón respondeu perante o Supremo a uma acusação das organizações de extrema-direita "Liberdade e Dignidade" e "Manos Limpias" por considerarem que o magistrado prevaricou quando se tornou competente para investigar os desaparecidos da Guerra Civil e do franquismo.

Os queixosos neste processo acusaram Garzón de ter montado um "artifício jurídico" para abrir um inquérito aos desaparecidos da Guerra Civil espanhola (1936-1939) e do regime do general Francisco Franco (1936-1975), ignorando uma lei de amnistia geral aprovada pelo parlamento espanhol em 1977, dois anos depois da morte do ditador.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG