Afeganistão

Talibãs dizem controlar vale de Panchir mas opositores negam

Talibãs dizem controlar vale de Panchir mas opositores negam

Os talibãs anunciaram, esta segunda-feira, que controlam totalmente o vale de Panchir, onde se tinha organizado a resistência desde que o movimento tomou o poder no Afeganistão, em meados de agosto. Militantes opositores garantem que o anúncio dos extremistas é falso.

"Com esta vitória, o nosso país saiu completamente do marasmo da guerra. As pessoas vão viver agora em liberdade, paz e prosperidade", declarou, em comunicado, o principal porta-voz do movimento fundamentalista Zabihullah Mujahid.

"Rebeldes foram mortos e os restantes fugiram. A respeitável população de Panchir foi resgatada aos sequestradores. Nós garantimos que ninguém será alvo de discriminação. São todos nossos irmãos e trabalharemos em conjunto para um país e um objetivo", acrescentou.

A Frente Nacional de Resistência do Afeganistão (NRF) que combate contra os talibãs na província de Panchir nega o controlo da região pelas forças do Emirado Islâmico e assegura que os combates continuam.

"A afirmação dos talibãs sobre a ocupação do Panchir é falsa. As forças da NRF estão presentes em todas as posições estratégicas do vale para continuarem a luta", indicou hoje o movimento através de uma mensagem publicada na rede social Twitter.

A mensagem foi publicada pouco depois de os talibãs terem assegurado o controlo do território do leste do Afeganistão.

O vale de Panchir, um enclave de difícil acesso, situado a 80 quilómetros a norte de Cabul, é o último foco da oposição armada aos talibãs, que conquistaram o poder em 15 de agosto e conseguiram a retirada das últimas tropas estrangeiras no país duas semanas depois.

PUB

Reduto antitalibã de longa data, a zona, tornada conhecida no final dos anos 1990, pela ação do comandante Ahmed Shah Massoud, assassinado pela rede terrorista Al-Qaida em 2001, abriga a Frente Nacional de Resistência (FNR).

Liderada por Ahmad Massoud, filho do comandante Massoud, a FNR integra membros das milícias locais e antigos membros das forças de segurança afegãs que chegaram à zona quando o resto do Afeganistão caiu nas mãos dos talibãs.

O Panchir nunca foi ocupado, quer durante a ocupação soviética nos anos 1980, ou durante a ascensão dos talibãs ao poder uma década depois.

Esta madrugada, a FNR propôs um cessar-fogo e uma retirada dos talibãs da zona. "Em troca, pediremos as nossas tropas que se abstenham de qualquer ação militar", de acordo com um comunicado da FNR, divulgado depois de informações darem conta de perdas pesadas sofridas pelo movimento durante o fim de semana.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG