Censura

Talibãs consideram o TikTok imoral e proíbem-no no Afeganistão

Talibãs consideram o TikTok imoral e proíbem-no no Afeganistão

O Governo talibã ordenou, nesta quinta-feira, a proibição no Afeganistão da rede social TikTok e do jogo PlayerUnknown's Battlegrounds (PUBG), com a justificação de que estas aplicações estavam a levar os jovens afegãos a perderem-se. O "conteúdo imundo do TikTok não era consistente com as leis islâmicas", disse o porta-voz dos talibãs.

O Governo afegão, liderado pelas talibãs, também garantiu que as redes de televisão não vão transmitir "conteúdo imoral", embora, no momento, os canais se limitem a exibir informações e programas religiosos. Desde o retorno ao poder em agosto passado, os talibãs já proibiram músicas e séries de televisão estrangeiras, ou que incluam mulheres.

O governo anterior, pró-ocidental, já tinha tentado banir o PUBG, um jogo de luta de sobrevivência multijogador, comparado ao filme "Jogos da Fome".

PUB

A decisão de proibir o acesso à aplicação a quase nove milhões de utilizadores no país foi tomada durante uma reunião do conselho de ministros, na quarta-feira, informou a "Bloomberg". A diretiva está em grande parte alinhada com o policiamento cultural e religioso do grupo militante que vem restringindo amplamente a vida social, particularmente das mulheres e impedindo os seus direitos.

Isso inclui a suspensão do ensino médio para meninas, a obrigação de os funcionários do governo deixarem crescer a barba e orientar os motoristas dos táxis a não conduzirem mulheres por mais de 70 quilómetros sem um homem da família.

"O Ministério das Comunicações e Tecnologia da Informação recebeu ordens para remover as aplicações dos servidores de internet e torná-los inacessíveis a todos no Afeganistão."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG