Afeganistão

Talibãs proíbem membros de entrarem armados em parques de diversões

Talibãs proíbem membros de entrarem armados em parques de diversões

Os talibãs proibiram, esta quarta-feira, os seus membros de entrarem em parques de diversões fardados e armados, após o surgimento de vários vídeos de combatentes extremistas naqueles locais, anunciou o porta-voz do Governo do Afeganistão.

"Os combatentes do Emirado Islâmico (como o governo talibã se autodenomina) não podem entrar nos parques de diversões com armas, fardas militares e veículos, e são obrigados a seguir as regras e os regulamentos" destes locais, disse o principal porta-voz dos talibãs, Zabiullah Mujahid.

A decisão foi tomada na sequência da divulgação de vários vídeos nos quais os combatentes talibãs podem ser vistos a desfrutar de várias atrações dos parques. As imagens foram partilhadas nas redes sociais logo após os talibãs capturarem Cabul, em 15 de agosto.

PUB

Em algumas das imagens é possível ver os combatentes talibãs armados, o que gerou muitas críticas.

"Vários equipamentos foram projetados para diferentes tipos de pessoas, como crianças e idosos, mas algumas pessoas armadas usaram-nos sem pensar nas regras", disse um funcionário do parque Habibullah Zazai, em Cabul, que pediu anonimato.

Num país devastado por décadas de guerra e que enfrenta uma grave crise económica e humanitária, agravada desde que os talibãs tomaram o poder, os parques de diversões permitem esquecer os problemas durante algumas horas.

Esta quarta-feira, reabriram, pela primeira vez desde que os talibãs assumiram o poder, as universidades públicas no Afeganistão e algumas alunas puderam voltar às aulas, mas separadas dos estudantes do sexo masculino. Apenas as universidades privadas tinham sido autorizadas a reabrir em setembro, para mulheres e homens, mas em classes separadas por género.

"É um momento alegre o retornar das nossas aulas, mas ainda estamos preocupadas que os talibãs as possam terminar", disse à agência de notícias AFP Zarlashta Haqmal, estudante de Direito e Ciência Política da Universidade Nangarhar, em Jalalabad.

O regresso às aulas nas universidades ocorreu, esta quarta-feira, em seis províncias do leste, sul e sudoeste: Laghman, Nangarhar, Helmand, Nimroz, Farah e Kandahar. Está agendado o retorno das aulas noutras províncias para 26 de fevereiro, disseram as autoridades.

Antes do regresso dos talibãs ao poder, homens e mulheres frequentavam as aulas juntos nas universidades. As faculdades e escolas de ensino médio ainda estão encerradas para as raparigas na maior parte do país e devem reabrir até ao final de março, de acordo com o governo talibã.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG