Pedofilia

Terceira figura do Vaticano condenada por abusos sexuais de crianças

Terceira figura do Vaticano condenada por abusos sexuais de crianças

George Pell, a terceira figura mais importante do Vaticano, foi condenado pelas acusações de abusos sexuais a menores na Austrália.

Segunda avança o site do jornal norte-americano "Daily Beast", o homem, que na quarta-feira foi afastado pelo Papa Francisco do Conselho de Cardeais, foi considerado culpado por ter violado dois rapazes, que pertenciam ao coro da igreja, nos anos 90.

De acordo com as publicações "National Catholic Reporter" e "America Magazine2, o cardeal George Pell foi declarado culpado de cinco acusações relacionadas com má conduta sexual grave envolvendo duas crianças na Catedral de St. Patrick, em Melbourne, na década de 1990.

O julgamento, as acusações específicas, o testemunho e quase todos os outros detalhes envolvendo as acusações contra o cardeal de 77 anos não podem ser divulgadas por decisão do tribunal, que proibiu a imprensa australiana de noticiar.

Segundo as mesmas publicações, o julgamento foi realizado perante o juiz Peter Kidd, do Tribunal de Comarca do Estado de Victoria e a sentença só deve ser conhecida em fevereiro.

Desde agosto de 2017 que o cardeal australiano, a terceira figura do Vaticano, enfrenta um processo por supostos crimes sexuais contra menores.

George Pell é o primeiro alto funcionário da cúria romana acusado em supostos crimes de pedofilia, mas sempre se declarou inocente das acusações.

Na quarta-feira, o papa afastou George Pell do seu círculo de conselheiros assim como o cardeal Francisco Errázuriz, suspeito de encobrir atos pedófilos de um eclesiástico no Chile, anunciou o Vaticano.

Os dois altos representantes da Igreja Católica integravam o Conselho de Cardeais, composto por nove conselheiros em representação de todos os continentes, também conhecido pela designação "C9", e cuja missão é ajudar o Papa Francisco a reformar a administração da Santa Sé.