Estudo

Infeção por covid-19 pode variar com o tipo de sangue

Infeção por covid-19 pode variar com o tipo de sangue

Um estudo recente realizado por um laboratório de testes genéticos norte-americano concluiu que as pessoas com o tipo de sangue O têm melhores defesas e que é mais raro que contraiam o novo coronavírus.

O tipo de sangue constitui um papel importante na defesa contra o novo coronavírus, concluiu um estudo realizado pela empresa de testes genéticos 23andMe, iniciado em abril e que ainda decorre com doentes com covid-19.

Os especialistas da gigante biotecnológica, com sede na Califórnia, realizaram 750 mil testes para analisar os fatores genéticos dos infetados e descobriram que diferenças no gene ABO, que determina o tipo sanguíneo, podem afetar a suscetibilidade ao vírus. Os resultados preliminares sugerem que as pessoas com sangue tipo O estão mais protegidas: têm 9% a 18% menos hipóteses de acusar positivo do que pessoas com outros tipos sanguíneos. Estes primeiros resultados mantêm-se quando ajustados por idade, sexo, índice de massa corporal e etnia.

Embora um estudo anterior tenha apurado que o tipo de sangue O só era mais protetor entre tipos de sangue rh positivo, as diferenças no fator rh (tipo sanguíneo + ou -) não foram consideradas significativas nos dados recolhidos pela 23andMe.

Pelo menos dois estudos publicados recentemente, um de investigadores da China e outro de cientistas de Itália e Espanha, também já tinham analisado o papel do gene ABO na doença. Enquanto o primeiro analisou a suscetibilidade ao contágio, o segundo também detetou uma associação entre o tipo sanguíneo e a gravidade da doença (aumento de 50% na probabilidade de um paciente com sangue tipo A necessitar de um ventilador).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG