Brasil

Jovens atacam escola a tiro em São Paulo e matam oito pessoas

Jovens atacam escola a tiro em São Paulo e matam oito pessoas

Dois jovens encapuzados atacaram a tiro uma escola no Estado de São Paulo, no Brasil, esta quarta-feira. Mataram oito pessoas e em seguida suicidaram-se.

O ataque ocorreu na Escola Estadual Raul Brasil de Suzano, no Estado de São Paulo, pelas 9.50 horas locais (12.50 horas em Portugal continental).

Os atiradores são dois jovens encapuzados que mataram oito pessoas e depois suicidaram-se, segundo a imprensa local, que cita fontes da polícia.

As vítimas mortais são cinco rapazes, com idades entre os 15 e 17 anos, uma funcionária de 38 anos e uma coordenadora pedagógica de 59. Estavam todos no interior da escola no momento do ataque.

Também um comerciante de automóveis de 51 anos, tio de um dos autores dos disparos, foi assassinado a tiro antes de aqueles terem entrado na escola.

Há ainda 17 feridos.

Agentes da Polícia Militar (PM) foram chamados para uma ocorrência perto da escola relacionada com arma de fogo quando ouviram gritos das crianças. "Foram então até a escola, onde os dois criminosos acabaram por se matar", disse a porta-voz da PM, capitão Cibele, citada pelo portal de notícias G1.

Para o local foram mobilizados vários efetivos dos bombeiros e equipas de emergência. Foram ainda chamados especialistas em explosivos depois de ter sido encontrada uma mala com fios. No interior da escola a polícia também encontrou um arco e flecha e garrafas que aparentam ser "cocktails molotov".

"Eram 9.30 horas. Ouvimos disparos. Estava na sala de aula, na hora do intervalo. Pensei que fossem bombas. Quando eu percebi que eram tiros fiquei lá. Só saí quando os polícias chegaram, 20 minutos depois", contou a professora Sandra Perez, citada na imprensa local.

"Estávamos no intervalo. Ouvi os tiros e vi pessoas correndo", contou um aluno, Matheus Mariano, acrescentando que um amigo, com 17 anos, tinha sido atingido por dois tiros.

Outo estudante, Rosni Marcelo Grotliwed, de 15 anos, disse ter visto um dos atacantes com uma arma e uma faca. "Fui para a diretoria e tinha muita gente morta no chão. Eles gritavam, mas eu não entendi o que era", relatou.

O governador João Doria, que já se deslocou para o local, reagiu na rede social Twitter à "triste notícias de que crianças foram cruelmente assassinadas na escola estadual Professor Raul Brasil, em Suzano".

Frequentam a escola 358 alunos do 6.º ao 9.º ano e 693 estudantes do ensino secundário, segundo dados estatísticos de 2017.