Animais

Touros podem agitar a relação entre Pablo e Pedro em Espanha

Touros podem agitar a relação entre Pablo e Pedro em Espanha

A proposta de abolição das touradas em Espanha parece estar fora de questão, mas o partido Unidas Podemos, que faz coligação com o PSOE no novo Governo, defende a eliminação de apoios e subsídios relacionados com esses e outros espetáculos que envolvam o abuso de animais.

Segundo a imprensa espanhola, está prevista na distribuição de competências do novo Governo a criação de uma direção-geral de Bem-Estar Animal, que seria liderada por Pablo Iglesias, o secretário-geral do Podemos que disse que "é hora de correr riscos e estar nas decisões" para mudar.

Os dois partidos evitaram a questão das touradas nos respetivos programas de Governo, mas com a criação de uma pasta dedicada ao bem-estar animal o debate sobre o assunto no executivo será inevitável. O primeiro-ministro Pedro Sánchez afirmou anteriormente que não gosta de touradas, mas que as respeita. Iglesias defendeu abertamente o fim dos espetáculos em 2018, mas acabou por ir moderando o discurso até hoje.

"No Unidos Podemos, defendemos que as touradas desapareçam e queremos que o passo seja decidido pelo público, para que se mantenha à margem dos governantes", escreveu Iglesias no Twitter em outubro de 2018.

A tauromaquia teve influência, nos últimos dois anos, em 103 atividades económicas em Espanha, desde a pecuária à hotelaria e restauração, e um impacto económico de 4150 milhões de euros, segundo dados recolhidos pela Associação Nacional de Organizadores de Espetáculos de Touros (Anoet).

O Podemos tem sido pressionado sobre os temas de bem-estar animal pelo Pacma, partido animalista que exigiu ao novo Governo medidas concretas como "a proibição de circos com animais, a tauromaquia e qualquer espetáculo que envolva animais".

Os "roxos" do Podemos evitaram o pedido de abolição das touradas, mas defendem a eliminação de apoios e subsídios relacionados com esses e outros espetáculos que envolvam o abuso de animais, uma posição que o Pacma considera "fraca" em comparação com aquilo que propôs.

Agora, Iglesias terá que decidir se vai tentar travar as touradas ou deixar o assunto passar. O perigo, como o próprio reconheceu recentemente em entrevista, é "dececionar os eleitores".

O pacto governamental entre socialistas e "roxos" limita-se a promover uma Lei de Bem-Estar Animal, que garante uma relação de respeito para com todos os seres vivos, incluindo a revisão da tributação dos serviços veterinários.

"Estudaremos a possibilidade de estabelecer um crime de maus tratos a animais selvagens no seu ambiente natural e uma revisão das penas por abandono de animais domésticos, e melhorias no controlo de animais domésticos e da produção de animais de consumo", pode ler-se no texto assinado pelas duas partes da coligação.

Outras Notícias