Mundo

Tráfego aéreo com algumas perturbações na Alemanha

Tráfego aéreo com algumas perturbações na Alemanha

O tráfego aéreo nos aeroportos alemães estava a funcionar, esta terça-feira de manhã, com algumas perturbações, depois de ter sido desmarcada, à última hora, uma greve dos controladores.

Várias dezenas de voos estavam a partir com atraso ou a partir antecipadamente, mas nada que se compare com o caos que uma eventual greve provocaria.

Em Frankfurt, no maior aeroporto alemão, cerca de 40 voos saíram mais tarde ou mais cedo do que o previsto, porque as respectivas companhias aéreas tinham alterado os horários, para tentar evitar os efeitos da greve.

Em Munique, cerca de uma dezena de voos intercontinentais aterraram com atraso, mas de resto o tráfego decorria normalmente, e em Hamburgo não havia quaisquer anomalias a registar.

Ao longo do dia, os passageiros poderão deparar-se com alguns atrasos nos voos domésticos e internacionais nos vários aeroportos germânicos, mas não correm o risco de ficar em terra, garantiu a agência Alemã de Segurança Aeronáutica (DFS), depois de ter requerido no último momento a conciliação, para evitar a greve dos controladores.

O conflito entrará agora num período de tréguas de várias semanas, mediado por uma personalidade aceite por ambas as partes, e só se esta ronda negocial fracassar os controladores poderão voltar a convocar uma greve.

O sindicato dos controladores (GdF), que representa cerca de 5500 funcionários da DFS, exige aumentos salariais de 6,5%.

PUB

A entidade patronal, por seu turno, apresentou na semana passada uma contraproposta de aumentos de 5,2%, em duas etapas, e por um prazo de dois anos e meio.

Os salários mensais brutos dos controladores alemães oscilam entre os 5700 e os 8000 euros, acrescidos de suplementos para o trabalho nocturno ou em dias feriados, segundo a DFS.

O sindicato recusa também a proposta da agência estatal para aumentar o volume anual de horas extraordinárias de 150 para 250, e exige que, em vez disso, seja admitido mais pessoal.

Além disso o GdF reivindica a participação dos representantes dos controladores na planeada reestruturação da agência federal de segurança aeronáutica, nomeadamente na nomeação de chefias, o que a administração da DFS também rejeita.

Outras Notícias