Mundo

Tréguas em Gaza ainda sem acordo

Tréguas em Gaza ainda sem acordo

A pressão diplomática, com personalidades de primeiro plano da política internacional, cercou israelitas e palestinianos. Hamas anunciou as tréguas a partir da meia-noite, mas Israel continua a negociar.

A aviação israelita lançou, terça-feira, panfletos em vários bairros de Gaza, instando os habitantes a saírem "imediatamente" das suas casas. Os panfletos, escritos em árabe, incluíam um desenho com as estradas que os habitantes deveriam escolher.

A mensagem não explicava por que razão era pedida a evacuação, mas garantia a segurança daqueles que cumprissem as indicações. Por outro lado, lançou ainda mais dúvidas sobre a evolução do conflito, já que autoridades egípcias e palestinianas afirmaram, horas antes, que o anúncio de um cessar-fogo com Israel seria iminente.

"A violenta agressão israelita vai cessar ontem e os esforços para obter um cessar-fogo vão ter resultados positivos nas próximas horas", declarou, ontem, o presidente egípcio Mohamed Morsi. E o Hamas anunciou o cessar-fogo em Gaza a partir da meia-noite. Contudo, Israel não confirmava a acordo e apenas avançava que tinha travado a invasão terrestre a Gaza.

"Israel não está interessada em dar um tempo, permitindo que o Hamas se reorganize. Queremos uma nova realidade, na qual os israelitas não tenham que viver sob o disparo dos foguetes do Hamas, disse, à CNN o porta-voz do Governo de Israel Mark Regev.

Ontem, Obama decidiu enviar a secretária de Estado Hillary Clinton a Israel, ao Egito e à Cijordânia. A viagem marca o envolvimento mais forte do presidente dos EUA no conflito,

Entretanto, o secretário-geral da Liga Árabe declarou, ontem, que o essencial para os países árabes não é obter uma trégua para o conflito na Faixa de Gaza, mas pôr fim à ocupação israelita. v