Mundo

Três parlamentares investigados por suposto envolvimento em máfia de jogos

Três parlamentares investigados por suposto envolvimento em máfia de jogos

O Ministério Público Federal do Brasil pediu na noite de terça-feira a abertura de um processo para investigar o suposto envolvimento de três parlamentares em atividades ilegais relacionadas com jogos de azar, informa a imprensa brasileira.

Os alvos das investigações são o senador Demóstenes Torres, do partido direitista Democratas (DEM), e os deputados Carlos Leréia, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), e Sandes Júnior, do Partido Popular (PP).

Os parlamentares são suspeitos de envolvimento com o empresário Carlos Augusto Ramos, conhecido como "Carlinhos Cachoeira", preso no mês passado por explorar máquinas de jogos de azar no estado de Goiás, na região centro-oeste do Brasil.

As investigações que levaram à prisão de Carlos Ramos levaram ainda ao indiciamento de outras 80 pessoas, incluindo polícias militares e federais, com a ajuda dos quais "Carlinhos Cachoeira" conseguia manter a exploração das máquinas de jogos, proibidas pela legislação brasileira.

As provas recolhidas pela Polícia Federal incluem cerca de 300 escutas de telefonemas entre o empresário e o senador Demóstenes Torres.

De acordo com o diário O Globo, numa das escutas feitas pela Polícia Federal, o senador é apanhado a pedir dinheiro a Carlos Ramos para pagar táxi-aéreo.

O senador José Agripino, novo presidente do DEM, admitiu a possibilidade de Demóstenes Torres ser expulso do partido, caso as acusações sejam provadas.