EUA

Tribunais bloqueiam proibição de aborto em Wyoming e Dakota do Norte

Tribunais bloqueiam proibição de aborto em Wyoming e Dakota do Norte

Juízes norte-americanos bloquearam temporariamente, esta quarta-feira, a proibição ao aborto que deveria entrar esta semana em vigor nos estados do Wyoming e do Dakota do Norte, argumentando que a medida viola as leis estaduais.

No Wyoming, um juiz posicionou-se ao lado de uma clínica de saúde feminina, que sofreu um incêndio, e de um grupo de pessoas que defende que a proibição prejudicaria profissionais de saúde e pacientes. Já no Dakota do Norte, um magistrado expressou apoio à única clínica de aborto daquele estado, a Red River Women's Clinic, em Fargo.

As leis anti-aborto deveriam entrar em vigor no Wyoming e no Dakota do Norte na quarta e quinta-feira, respetivamente.

PUB

Entretanto, na Virgínia Ocidental, deputados avançaram com a proibição da interrupção voluntária da gravidez durante protestos.

Ao longo de horas de debate, que levaram à aprovação da legislação por 69 votos a favor e 23 contra, num hemiciclo dominado por republicanos, ouviu-se o som de gritos e cânticos anti-aborto lá fora.

"Enfrentem-nos", gritava a multidão.

A suspensão das novas legislações no Dakota do Norte e no Wyoming coloca os estados entre vários outros - Kentucky, Louisiana e Utah - onde juízes bloquearam temporariamente a implementação destas leis enquanto decorrem processos judiciais.

O Supremo Tribunal de Justiça, de maioria conservadora, suprimiu em 24 de junho, o direito constitucional ao aborto, vigente em todo o país desde 1973, o que desencadeou uma vaga de ilegalizações na metade mais conservadora do país.

O presidente dos EUA, Joe Biden, assinou entretanto uma ordem executiva para garantir que as mulheres possam atravessar as fronteiras entre os Estados para irem abortar onde seja legal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG