Mundo

Tribunal dos EUA condena Irão a pagar 662 milhões de euros por atentado de 1983 no Líbano

Tribunal dos EUA condena Irão a pagar 662 milhões de euros por atentado de 1983 no Líbano

Um juiz federal dos Estados Unidos condenou o Irão a pagar 813 milhões de dólares (662 milhões de euros) como indemnização às famílias dos 241 militares norte-americanos mortos num atentado num Líbano em 1983.

"Depois desta decisão, este tribunal já ordenou o pagamento de 8.800 milhões [7.162 milhões de euros] em decisões contra o Irão em resultado do ataque bombista de Beirute", escreveu na sentença o juiz Royce Lamberth.

"O Irão está a acumular uma fatura exorbitante pelo seu apoio ao terrorismo", acrescentou este juiz de Washington, salientando que "há mais casos do ataque de Beirute que estão pendentes e a sua conclusão vai fazer de certeza subir este total".

Em 23 de outubro de 1983 foram mortos 241 militares dos EUA, incluindo 220 "marines", em Beirute, quando um camião carregado com explosivos irrompeu num campo militar e explodiu frente ao aquartelamento das tropas, próximo do aeroporto internacional de Beirute.

Este ataque foi um dos mais mortíferos contra norte-americanos.

No mesmo dia, de forma coordenada, foi feito outro ataque, também com recurso a um camião com explosivos, contra um quartel de tropas francesas, em Beirute, matando 58 militares.

Os dois ataques foram atribuídos à milícia xiita libanesa Hezbollah, que é apoiada pelo Irão.

PUB

Lamberth, cuja decisão foi entregue na quinta-feira, escreveu que "nenhuma compensação, por muito milhares de milhões de que contenha, pode refletir com exatidão as vidas incontáveis que têm sido alteradas pelos atos ignóbeis do Irão".

Este veredito, de 813,77 milhões de dólares, é o oitavo contra o Irão, resultante do ataque de 1983.

Em 2007, sob uma lei que autoriza o julgamento de governos estrangeiros nos tribunais dos Estados Unidos, o mesmo juiz já tinha condenado o Irão ao pagamento de 2.650 milhões de dólares (2.157 milhões de euros) às famílias das vítimas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG