Mundo

Tribunal egípcio condena 14 mulheres apoiantes de Morsi a 11 anos de prisão

Tribunal egípcio condena 14 mulheres apoiantes de Morsi a 11 anos de prisão

Um tribunal egípcio condenou esta quarta-feira 14 mulheres simpatizantes do deposto Presidente Mohamed Morsi a 11 anos de prisão, por se manifestarem e causarem estragos em Alexandria, disse o porta-voz da Irmandade Muçulmana, Mustafa al Jatib.

O tribunal determinou ainda a transferência para um centro de menores de sete detidas, avançou a agência noticiosa estatal Mena, sem que tenha sido especificada a duração do internamento.

Outras seis pessoas, que pertencem à Aliança para a Defesa da Legitimidade, que apoia Morsi, foram condenadas à revelia a 15 anos de cadeia, informou o Partido Liberdade e Justiça (PLJ), braço político dos Irmãos Muçulmanos, na sua página na rede social Facebook.

O PLJ pormenorizou que as condenadas a 11 anos de cadeia têm entre 18 e 22 anos e as menores entre 15 e 17 anos.

Em 13 de novembro, 12 estudantes egípcios tinham sido condenados a 17 anos de prisão por participarem nos distúrbios ocorridos em outubro, por ocasião de um protesto dos islamitas na Universidade de Al Azhar, no Cairo.