Imprensa

Trump ataca uso de fontes anónimas mas assessores fazem o mesmo

Trump ataca uso de fontes anónimas mas assessores fazem o mesmo

Donald Trump voltou esta sexta-feira a atacar a comunicação social por usar fontes anónimas, apenas umas horas depois de colaboradores seus insistirem em dar informação a jornalistas na condição de se manterem no anonimato.

Seguindo uma linha de ataque que revigorou os participantes na maior reunião norte-americana de ativistas conservadores, Donald Trump criticou os jornalistas que "constroem histórias e inventam fontes".

Estes jornalistas, acrescentou, "não deviam ser autorizados a usar fontes sem nome", insistindo: "Revelem os nomes".

O presidente norte-americano não avançou quais os órgãos jornalísticos a que se referia, mas os ataques de hoje representam uma escalada na sua batalha permanente contra a comunicação social, que já classificou como "o partido da oposição".

Entre as várias notícias sobre Trump que têm vindo a público graças a fontes não reveladas estão os numerosos relatos dos contactos de assessores seus com agentes dos serviços de informações russos, que a Casa Branca contestou vivamente.

Porém, vários membros da sua equipa da Casa Branca exigem regularmente o anonimato quando falam aos jornalistas. Foi o caso nesta sexta-feira de manhã, quando vários assessores falaram aos jornalistas sobre o contacto do chefe do "staff" da Casa Branca, Reince Priebus, com agentes da polícia federal (FBI) a propósito das notícias sobre os contactos com os russos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG