EUA

Trump ignorou informações sobre "acontecimento cataclísmico" da Covid-19

Trump ignorou informações sobre "acontecimento cataclísmico" da Covid-19

Donald Trump terá sido informado sobre a existência do novo coronavírus no final de novembro do ano passado. Só que ignorou os avisos.

A notícia é avançada esta quinta-feira pela "ABC News". Donald Trump ignorou todos os avisos desde novembro de 2019 sobre o novo vírus nomeado SARS-COV-2 pelos serviços secretos do seu país. Agora, Trump acusa a Organização Mundial de Saúde (OMS) de quer beneficiar a China.

Foi em novembro do ano passado, que depois de muitas mensagens intercetadas pelos serviços secretos norte-americanos, a confirmar que estaria na iminência um vírus desconhecido a contaminar toda uma cidade, a de Wuhan, influenciando padrões de vida, de negócios e constituindo uma ameaça para a população.

A "ABC News" relata que foi escrito um relatório entregue à administração Trump e que alertava para um "acontecimento cataclísmico". A estação de televisão dos Estados Unidos citam fontes ligadas ao Governo de Washington.

As preocupações dos serviços secretos foram detalhadas num documento do Centro Nacional de Inteligência Médica das Forças Armadas, avançam à "ABC" dois oficiais familiarizados com o conteúdo do documento.

As informações recolhidas resultaram, não só da interceção de mensagens, por fio e computador, como de imagens de satélite. A conclusão foi que uma doença fora do controlo representaria uma séria ameaça para as forças norte-americanas na Ásia.

O relatório foi entregue ao Estado-Maior Conjunto do Pentágono e à Casa Branca. Após isso, segundo as mesmas fontes, o Governo e legisladores terão sido avisados mais vezes, bem como o Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca.

Presidente Trump avisado ao detalhe

Dizem ainda as fontes que os alertas culminaram, no início de janeiro, com uma explicação detalhada do problema no briefing diário do Presidente sobre assuntos dos serviços secretos. Ora, para que esta abordagem aconteça, tem primeiro de passar por semanas de verificação e análise, de acordo com elementos que trabalharam em reuniões presidenciais de administrações republicana e democrata.

Certo é que os avisos terão sido desvalorizados e os Estados Unidos são hoje o país do mundo com mais casos de Covid-19, com muitas baixas diárias.

Desde que o novo coronavírus chegou ao país, Donald Trump tem apontado o dedo à China e acusa também a OMS de se ter "enganado" na análise à Covid-19.

Numa das últimas conferências de imprensa, Trump chegou a dizer que foi há pouco tempo que "acordou" para o verdadeiro problema da pandemia.

A pandemia da Covid-19 matou mais de 87 mil pessoas em todo o mundo desde que a doença surgiu em dezembro e mais de 1,5 milhões estão infetados em 192 países, segundo um balanço da AFP desta manhã.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG