O Jogo ao Vivo

Polémica

Trump sugeriu um muro no Sahara para controlar migrantes em Espanha

Trump sugeriu um muro no Sahara para controlar migrantes em Espanha

O presidente dos EUA parece estar interessado em tornar global a ideia de construir muros em fronteiras. Donald Trump terá sugerido que, para controlar a entrada de migrantes, a Espanha deveria construir um muro no Sahara.

Segundo Joseph Borrel, responsável pelas relações externas espanholas, Donald Trump terá dito que a única solução para a Espanha enfrentar o desafio dos refugiados passa pela construção de um muro no Sahara. "Construam um muro", disse Trump durante um encontro que, segundo os jornais espanhóis, terá acontecido em junho.

E nem a extensão da fronteira parece deixar o presidente norte-americano com dúvidas. "A fronteira com o Sahara não pode ser maior do que a nossa com o México", respondeu Trump quando confrontado com a dificuldade em concretizar tal plano. A reação dos representantes espanhóis nesse encontro foi de surpresa pela forma assertiva com que Trump fez a sugestão. É que a construção de um muro no deserto do Sahara envolveria sempre a colaboração de outros países.

A mancha de areia no norte de África cruza, nada mais, nada menos, do que um total de 11 países: Argélia, Chade, Egito, Eritreia, Líbia, Mali, Mauritânia, Marrocos, Nigéria, Sudão e Tunísia. Segundo dados do governo norte-americano, avançados pelo "Washington Post", a fronteira entre o México e os EUA compreende cerca de três mil quilómetros, sendo que a do Sahara dista quase cinco mil quilómetros.

A recomendação de Trump foi tornada pública esta terça-feira, em Madrid, pelo próprio ministro. "Confirmamos o que foi dito pelo ministro, mas não vamos fazer qualquer comentário", explicou, ao "The Guardian", o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros espanhol.

De acordo com dados da Organização Internacional para a Migração, só em 2018, mais de 33 mil pessoas chegaram a Espanha através do Mediterrâneo. O número de migrantes que rumam ao país vizinho cresceu nos últimos meses fruto de uma repressão na rota do Mediterrâneo central, entre a Líbia e a Itália.