Tempestade

Tufão Noru mata cinco socorristas nas Filipinas

Tufão Noru mata cinco socorristas nas Filipinas

Pelo menos cinco socorristas morreram ao serem arrastados pelas águas, enquanto faziam operações em San Miguel de Bulacán, a norte da capital Manila, atingida por um tufão.

O "supertufão" Noru chegou às Filipinas este domingo com ventos fortes que chegaram até 240 quilómetros por hora durante a noite de 25 de setembro. As chuvas torrenciais causaram grandes inundações e deixaram o arquipélago completamente isolado e com cortes de energia.

Casas inteiras foram destruídas pela tempestade.

PUB

"Muitas das pessoas que vivem à beira do rio têm casas ilegais, feitas de materiais leves. Quando as chuvas e as tempestades chegam, elas são as primeiras a serem afetadas", explicou o autarca Alex Santos.

A equipa de socorristas que estava no local acabou por ser arrastada pelas águas quando tentava ajudar moradores da povoação na ilha de Luzón. Cinco morreram.

O presidente filipino Ferdinand Marcos já se pronunciou e afirmou que "a preparação prévia que tivemos nos últimos dois dias" foi fulcral para que não se perdessem mais vidas na tempestade. Cerca de 75 mil pessoas já tinham sido retiradas das suas casas antes da chegada do"supertufão" Noru.

O alerta do "supertufão" foi dado no domingo de manhã. Devido às inundações previstas e à força dos ventos, aulas e trabalho foram suspensos durante a segunda-feira. Foram também cancelados voos e fechados portos de embarcações. O comércio também foi suspenso assim como a energia do condado.

O arquipélago de mais de 7.000 ilhas no Oceano Pacífico é altamente vulnerável a tempestades. Assiste a uma média anual de 20 tempestades tropicais, sendo Noru o décimo primeiro este ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG