Redes Sociais

Twitter suspendeu conta de académica que ridicularizou líder chinês

Twitter suspendeu conta de académica que ridicularizou líder chinês

Uma académica da Nova Zelândia disse que a rede social Twitter restringiu temporariamente a sua conta, depois de ter ridicularizado o presidente chinês, Xi Jinping.

Na semana passada, a professora Anne-Marie Brady, da Universidade de Canterbury, divulgou mensagens no Twitter a ridicularizar as comemorações do 100º aniversário do Partido.

A professora disse que duas das mensagens foram temporariamente marcadas como "indisponíveis" pelo Twitter e a sua conta foi temporariamente suspensa no fim de semana, tendo sido restabelecida apenas na segunda-feira.

O Twitter não esclareceu o que motivou as suas ações, mas referiu, em comunicado, que, quando deteta atividades incomuns numa conta, pode adicionar avisos temporários até obter a confirmação do proprietário da conta.

Segundo o colunista do jornal britânico "The Times" Edward Lucas, a suspensão deverá ter resultado de uma campanha de reclamações por agentes do Partido Comunista, que terá acionado uma resposta automática do Twitter enquanto investigava a causa das reclamações.

"Vítimas menos proeminentes da censura chinesa teriam menores hipóteses de (ver a conta) restabelecida", afirmou.

PUB

"Para esclarecer, a afirmação de que o Twitter está em coordenação com qualquer Governo para suprimir o discurso não tem base em nenhum facto", disse a empresa.

"Defendemos uma internet livre, global e aberta e continuamos a ser defensores ferrenhos da liberdade de expressão", acrescentou.

As mensagens de Brady ridicularizaram a falta de validação internacional do centenário.

O presidente russo, Vladimir Putin, foi um dos poucos líderes que enviaram os parabéns à China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG