Mundo

Ucrânia quer acordo com UE "num futuro próximo"

Ucrânia quer acordo com UE "num futuro próximo"

A Ucrânia quer assinar um acordo de associação com a União Europeia "num futuro próximo", mas precisa de apoio económico e financeiro, afirmou, esta sexta-feira, o presidente ucraniano, Viktor Ianukovitch.

"Confirmo a intenção da Ucrânia de assinar o acordo de associação num futuro próximo (...) A pausa forçada no processo de assinatura do acordo não significa a paragem das reformas necessárias para a integração europeia", disse.

"Precisamos que os nossos parceiros europeus deem passos decisivos na direção da Ucrânia, em termos de desenvolvimento e de um programa de ajuda financeira e económica", disse Ianukovitch na Cimeira de Vilnius, segundo um comunicado do seu gabinete.

O presidente precisou estar nomeadamente interessado no reinício da cooperação com o FMI e o Banco Mundial "em condições aceitáveis".

O FMI tem exigido ao Governo de Kiev a aplicação de medidas impopulares, como o aumento do preço do gás para os consumidores, para desbloquear novas linhas de crédito à Ucrânia, que atravessa uma grave crise económica e financeira.

Kiev quer, por outro lado, que a UE ajude a modernizar o seu sistema de gasodutos e que levante as restrições comerciais a determinadas exportações ucranianas, segundo Ianukovitch.

O presidente ucraniano recusou assinar um acordo de associação com a UE na Cimeira de Vilnius, como estava inicialmente previsto, negociado há vários anos com Bruxelas.

A decisão, anunciada na semana passada, desencadeou fortes críticas da oposição e levou milhares de ucranianos às ruas das principais cidades em defesa da integração do país na UE.