Diplomacia

UE apela a Governo israelita para pôr fim aos colonatos na Palestina

UE apela a Governo israelita para pôr fim aos colonatos na Palestina

O porta-voz do Alto Representante da União Europeia (UE) para a Política Externa apelou esta quinta-feira ao Governo israelita para parar a construção de colonatos nos territórios ocupados da Palestina, obedecendo ao direito internacional.

"Apelamos ao Governo de Israel para obedecer ao direito internacional, acabar toda a atividade de colonatos em territórios ocupados e ações relacionadas. A violência dos colonos sobre civis palestinianos e as suas propriedades tem de ser parada e prevenida. A UE também reitera que não reconhece quaisquer mudanças das fronteiras anteriores a 1967, incluindo Jerusalém, para lá daquelas acordadas por ambas as partes", lê-se em comunicado.

A UE sublinha a sua "posição clara" de que "todos os colonatos em território palestiniano ocupado são ilegais e um obstáculo face à solução de dois estados, bem como uma paz justa e duradoura, tal como dita a resolução 2334 do Conselho de Segurança das Nações Unidas".

A chefia da diplomacia europeia referia-se ao anúncio, por parte das autoridades israelitas, da aprovação para construção de quase 2000 habitações em colonatos ilegais na Cisjordânia, uma decisão que se segue a desenvolvimentos recentes de colonatos, incluindo em locais sensíveis como Jerusalém leste ou Hebron.

Mais de 600 mil colonos israelitas estabeleceram-se nos territórios ocupados, nos quais vivem quase três milhões de palestinianos.

Perto de 400 mil colonos judeus estão estabelecidos nos colonatos da Cisjordânia, onde vivem cerca de 2,7 milhões de palestinianos. No total, incluindo Jerusalém leste anexada, mas não integrada na Cisjordânia, o total de colonos judeus instalados em territórios palestinianos ocupados cifra-se em 600 mil.

Outras Notícias