Mundo

UE decide aumentar pressão sobre Síria com novas sanções

UE decide aumentar pressão sobre Síria com novas sanções

Os líderes europeus concordaram na necessidade de "aumentar a pressão" sobre o regime sírio liderado por Bashar al-Assad através de novas sanções, de acordo com a versão final das conclusões do Conselho Europeu, em Bruxelas.

No documento acordado pelos chefes de Estado e de Governo da União Europeia, e ao qual a agência Lusa teve acesso, os 27 voltam a exortar as autoridades de Damasco a "pôr imediatamente cobro à violência e aos abusos de direitos humanos infligidos à população civil" e instam Assad a deixar o poder, dando assim espaço a "uma transição pacífica, para bem do país".

Os líderes europeus confirmam o seu empenhamento em "aumentar a pressão sobre o regime sírio enquanto a violência e as violações de direitos humanos continuarem" e convidam o Conselho - designadamente os seus ministros dos Negócios Estrangeiros - e "preparar mais medidas restritivas com alvos precisos contra o regime".

Na passada segunda-feira, os chefes de diplomacia europeia já haviam aprovado em Bruxelas um endurecimento das sanções contra a Síria, incluindo um congelamento dos bens do banco central sírio na Europa e interdição do comércio de metais preciosos, com o objetivo de "secar" as fontes de financiamento de Damasco, que já era alvo de um embargo às importações de petróleo.