Mundo

UE e EUA pedem eleições rápidas no Egito após da deposição de Morsi

UE e EUA pedem eleições rápidas no Egito após da deposição de Morsi

A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, e o presidente norte-americano apelaram, esta quinta-feira, a um rápido regresso à democracia no Egito, depois do exército ter deposto o Presidente islamita Mohamed Morsi, na quarta-feira.

"Estou a acompanhar os desenvolvimentos mais recentes no Egito e tenho perfeita consciência das profundas divisões na sociedade, das exigências populares para uma mudança política e dos esforços para alcançar um compromisso", afirma Ashton, num comunicado.

"Apelo a todas as partes para que regressem rapidamente a um processo democrático, incluindo a realização de eleições presidenciais livres e imparciais e a aprovação de uma constituição", acrescentou.

O Presidente norte-americano, Barack Obama, apelou também à realização rápida de eleições para um novo governo civil no Egito e manifestou-se "profundamente preocupado" com a situação no país.

Obama disse ainda que vai pedir para serem estudadas as "implicações legais" da situação na ajuda que Washington dá ao Egito, já que a legislação norte-americana não permite ajuda a um país onde tenha ocorrido um golpe de Estado.

O apelo da UE e dos EUA surge algumas horas depois do exército egípcio derrubar Morsi, após uma semana sangrenta durante a qual morreram quase 50 pessoas em confrontos entre as diferentes fações políticas.

Outras Notícias