UE

UE e NATO repudiam "atos horríveis" em Boston

UE e NATO repudiam "atos horríveis" em Boston

O presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, condenou "os atos horríveis" ocorridos na segunda-feira no final da maratona de Boston, que causaram três mortos. A chefe da diplomacia da UE, Catherine Ashton, declarou-se chocada, assim como o secretário-geral da NATO.

"Condeno os atos horríveis em Boston e lamento profundamente o acontecimento trágico, a perda de vidas humanas", escreveu o presidente do Conselho Europeu num comunicado.

Herman van Rompuy pediu que "os responsáveis por estas atrocidades sejam levados à justiça", antes de expressar "simpatia e apoio da UE ao povo norte-americano".

A chefe da diplomacia da UE, Catherine Ashton, declarou-se chocada e denunciou "atos reprováveis".

O secretário-geral da NATO, Anders Fogh Rasmussen, afirmou estar "profundamente chocado" com os acontecimentos de segunda-feira. "Os meus pensamentos estão com as pessoas de Boston e de todos os Estados Unidos", de acordo com um comunicado.

"Os meus sentimentos encontram-se com os familiares daqueles que morreram neste terrível ato. Os meus pensamentos estão com os muitos feridos, a quem envio desejos de melhoras", disse, por seu turno, a chanceler alemã, Angela Merkel.

A chefe do Governo alemão sublinhou que "nada justifica um ataque tão cobarde contra pessoas que se reuniram para assistir a um pacífico acontecimento desportivo".

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Guido Westerwelle, manifestou a solidariedade do Governo de Berlim "com as famílias e amigos das vítimas", desejando a "rápida recuperação dos vários feridos".

"Aquilo que devia ter sido um acontecimento tradicional, alegre e desportivo, para dezenas de milhares de atletas e centenas de milhares de espetadores de Boston e de todo o mundo, transformou-se numa tragédia".

Em Roma, o primeiro-ministro italiano, Mario Monti, enviou uma mensagem ao Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na qual condenou as explosões.

"Estou certo de que, mesmo nestas circunstâncias penosas, a América vai saber reagir e reafirmar os valores fundamentais da sua grande civilização", disse o primeiro-ministro cessante.

Explosões registadas na segunda-feira perto da linha da meta da Maratona de Boston, nos Estados Unidos, causaram, pelo menos, três mortos e mais de 140 feridos, não tendo ainda sido apurado se se tratou de um atentado terrorista.

Outras Notícias