Covid-19

UE está pronta para discutir levantamento de patentes de vacinas

UE está pronta para discutir levantamento de patentes de vacinas

A UE está "pronta para discutir" a proposta dos Estados Unidos de levantar as proteções de propriedade intelectual das vacinas contra a covid-19 para acelerar a produção e distribuição, disse a presidente da Comissão Europeia (CE).

"A União Europeia (UE) está pronta a discutir qualquer proposta que enfrente a crise de forma eficaz e pragmática. Estamos prontos para discutir como a proposta dos EUA pode atingir esse objetivo", disse Ursula von der Leyen.

Num discurso por videoconferência no Instituto Universitário Europeu de Florença (Itália), Von der Leyen lembrou que a UE é por enquanto "o principal exportador de vacinas do mundo" e exortou outros países produtores a suspenderem suas restrições para exportarem as suas doses.

A administração do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou na quarta-feira o apoio ao levantamento de patentes de vacinas, especificando que Washington está a participar "ativamente" das negociações para esse efeito na Organização Mundial do Comércio (OMC).

Um levantamento temporário de patentes é particularmente exigido pela Índia e África do Sul para poder acelerar a produção, mas alguns países, incluindo a França, opõem-se veementemente.

Até agora, a UE não se manifestou a favor, argumentando que esta solução demoraria, devido à falta de meios de produção imediatamente mobilizáveis. No entanto, recentemente pareceu abrir a porta.

PUB

"Uma transferência de patente veria a produção começar dentro de um ano a 14 meses (...). No próximo ano, quando tivermos sucesso em aumentar a produção das nossas fábricas, esta pergunta pode ser feita", afirmou Thierry Breton, comissário europeu para o Mercado Interno, na segunda-feira.

"Por enquanto, pedimos a todos os produtores de vacinas que autorizem a exportação e evitem todas as restrições que possam perturbar as cadeias de abastecimento farmacêutico", insistiu Von der Leyen, esta quinta-feira.

O Reino Unido não exportou nenhuma dose fabricada no seu território e nos Estados Unidos uma decisão presidencial bloqueia estritamente a exportação de vacinas e restringe a de componentes de vacinas.

Por outro lado, "a UE exporta para mais de 90 países", do Japão à Colômbia via México, o que a torna "a farmácia do mundo" e "a única região democrática a exportar em grande escala", declarou Von der Leyen.

"Foram exportadas mais de 200 milhões de doses produzidas na Europa, ou seja, tantas vacinas quantas a UE forneceu aos seus próprios cidadãos", sublinhou a presidente da Comissão.

Ursula von der Leyen elogiou o "sucesso" das campanhas de vacinação dos 27, com "mais de três milhões de europeus vacinados todos os dias". A UE planeia vacinar 70% de sua população adulta até ao final de julho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG