O Jogo ao Vivo

Covid-19

UE quer alargar para nove meses validade do certificado de vacinação

UE quer alargar para nove meses validade do certificado de vacinação

A Comissão Europeia propôs que os certificados digitais covid-19 de vacinação tenham a validade prolongada para nove meses e que os seus portadores não sejam sujeitos a restrições adicionais nas viagens dentro da União Europeia.

O objetivo é permitir mobilidade enquanto não sobem as taxas de vacinação no território, onde ainda restam 35% dos cidadãos sem imunização completa.

Os não-vacinados poderão sempre circular desde que apresentem teste negativo, precisou a Comissão. Portugal vai exigir o teste a todos os que viajarem para o país, a partir de 1 de dezembro.

Segundo explicou a comissária europeia da Saúde, o período de validade de nove meses proposto para o certificado digital de vacinação tem "em conta as orientações do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças e visa permitir que os Estados-membros ajustem as suas campanhas de vacinação e que os cidadãos tenham acesso às doses de reforço".

Stella Kyriakideses pediu esforços "urgentes" para atingir taxas de vacinação anticovid-19 "significativamente mais elevadas" na UE, onde 35% ainda não estão imunizados, e exortou à toma de vacinas de reforço.

"Até ao final desta semana, a Europa terá entregado um milhar de milhão de doses aos Estados-membros", contabilizou Ursula Von der Leyen, apelando aos cidadãos que façam um reforço da imunização seis meses após a vacinação original. A chefe do executivo comunitário reiterou a recomendação do Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças de reforçar a vacinação na população com mais de 40 anos e dos mais vulneráveis.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG