Ambiente

Onda de calor escondida pode estar a acelerar o degelo na Antártida

Onda de calor escondida pode estar a acelerar o degelo na Antártida

Um grupo de cientistas descobriu uma área perto do Polo Sul onde a base do manto de gelo está a derreter de uma forma surpreendentemente rápida.

A equipa de investigadores, que integra especialistas do Reino Unido, Noruega e Dinamarca, publicaram o estudo na revista científica "Scientific Reports", que integra a prestigiada Nature.

No artigo, explicam que, através da análise de radar que perfurou em três quilómetros a camada de gelo, descobriram uma fonte de calor geotermal que estará a provocar o derretimento de importantes camadas de gelo.

Os cientistas acreditam que a fonte de calor resulta da combinação de rochas incomumente radioativas de água quente que vem de baixo do solo. Esta onda de calor derrete a base das camadas de gelo, levando a que a água derretida escoe por baixo da camada aumentando o volume dos subglaciares a jusante. A presença desta água extra pode ajudar a lubrificar o gelo que flui rapidamente nesta zona.

Apesar de o processo não estar a contribuir para grandes perdas de gelo neste momento, a equipa de cientistas alerta para possíveis derretimentos mais rápidos no futuro, uma vez que a água pode escapar mais facilmente.

"No futuro, a água extra no lençol de gelo pode tornar esta região mais sensível a factores externos, como as mudanças climáticas", explicou Tom Jordan, investigador responsável pela equipa de cientistas.

"Foi um projecto realmente emocionante, uma vez que tivemos a oportunidade de explorar uma das regiões menos estudadas do nosso Planeta", congratulou-se. Os resultados obtidos surpreenderam os cientistas, já que "muitas pessoas julgavam que a região da Antártida era feita de rochas antigas e frias".

PUB

"O que nós demonstramos é que mesmo no antigo interior continental, a geologia subjancente pode ter um impacto significativo no gelo", explicou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG