Design

Uma piscina sem limites no topo de um arranha-céus. Um desafio para Londres

Uma piscina sem limites no topo de um arranha-céus. Um desafio para Londres

Já se imaginou numa piscina sem limites e completamente transparente instalada no topo de um arranha-céus londrino, em que não há, sequer, escadas exteriores para entrar ou sair da água? Ainda não existe, mas uma empresa de piscinas britânica assegura que poderá ser real no futuro, apesar de, neste momento, ser ainda um exercício de design excêntrico, que fará sonhar os mais aventureiros.

Se habitualmente uma piscina é uma adição final a um projeto, que lhe poderá dar o toque de luxo que um edifício necessita, esta piscina infinita a 360º foi criada ao contrário. Os designers da Compass Pools imaginaram como seria o seu projeto perfeito, sem constrangimentos de adaptação a um projeto de arquitetura, e no final decidiram como seria o edifício que iriam colocar por baixo do ponto essencial. Foi assim que nasceu a ideia do edifício Infinity London, que, no futuro, poderá tornar-se realidade, se houver investidores interessados em apostar neste projeto megalómano.

"Os arquitetos costumam vir até nós para projetar piscinas infinitas no telhado, mas raramente temos uma palavra a dizer no projeto do edifício, porque a piscina é normalmente algo pensado posteriormente. Mas, neste projeto, começámos com o design da piscina e dissemos, essencialmente, 'como é que colocamos um edifício por baixo disto?' ", explica, em comunicado, o diretor técnico da empresa, Alex Kemsley

Com capacidade para 660 mil litros de água, a "infinity pool 360º" foi imaginada em acrílico fundido em vez de vidro, uma vez que este material transmite luz com um comprimento de onda semelhante à água, para que a piscina fique perfeitamente clara. O chão da piscina também é transparente, permitindo aos visitantes ver os nadadores e o céu acima, o que é possível apenas porque tudo foi pensado em função da água.

Ao ver as imagens digitais que a empresa disponibiliza, percebe-se que não há uma escada de acesso, mas tal não é erro do projeto. É apenas mais uma característica futurista e que roça os limites do real nesta piscina. Segundo a empresa, "os nadadores acedem à água através de uma escada rotativa em caracol baseada na porta de um submarino, elevando-se do chão da piscina quando alguém quer entrar ou sair".

"Normalmente, uma simples escada seria suficiente, mas não queríamos escadas no exterior do edifício ou na piscina, pois isso estragaria a vista. A solução baseia-se na porta de um submarino. A vanguarda absoluta do design de piscinas e edifícios e um pouco de James Bond", garante Kemsley.

Outras características técnicas avançadas incluem sensores para monitorizar a velocidade do vento e um sistema de gestão de edifícios controlado por computador, para garantir que a piscina permaneça à temperatura certa e que a água não seja soprada para as ruas abaixo. O sistema de aquecimento da piscina utilizará a energia residual do sistema de ar condicionado do edifício.

O Infinity London poderia iniciar a construção já em 2020, se todos os parceiros e empreiteiros confirmarem que alinham no projeto, garante a empresa, mas, apesar desse otimismo, ainda não há localização para o prédio, que poderá ser construído na zona da "City" de Londres.