Mundo

União Europeia considera processo eleitoral em Timor credível e livre de intimidações

União Europeia considera processo eleitoral em Timor credível e livre de intimidações

A missão de observação eleitoral da União Europeia às legislativas de sábado passado em Timor-Leste considerou, esta segunda-feira, o processo eleitoral credível e livre de intimidações e distúrbios.

"As eleições legislativas realizadas a 7 de julho foram levadas a cabo num ambiente calmo e organizadas de forma amplamente transparente e credível", afirmou em conferência de imprensa Fiona Hall, a eurodeputada britânica que chefia a missão da UE.

Segundo a eurodeputada britânica, os eleitores timorenses mostraram "mais uma vez" entusiasmo pelo processo democrático e os direitos e liberdades políticas fundamentais foram respeitados.

"As eleições foram genuinamente competitivas, apesar do uso das vantagens inerentes a quem está no poder não ter estado em conformidade com as boas práticas internacionais", salientou.

Para a missão de observação eleitoral da União Europeia continuam, no entanto, a "não existir disposições legais específicas relativas ao financiamento e despesas da campanha eleitoral, sendo que a lei de financiamento dos partidos políticos falha em estabelecer limites quanto a doações e despesas".

Na declaração preliminar de avaliação ao ato eleitoral, Fiona Hall destacou também o respeito da "liberdade de expressão nos meios de comunicação social" e o "aumento substancial na representação de mulheres".

A missão de observação eleitoral deslocou um total de 70 observadores eleitorais que além da campanha eleitoral, acompanharam a abertura, votação, encerramento e contagem em 215 mesas de voto nos 13 distritos de Timor-Leste.

PUB

A missão vai permanecer em Timor-Leste até ao próximo dia 26.

O CNRT, do atual primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, venceu sem maioria absoluta as eleições legislativas de sábado, segundo os resultados provisórios do Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE) depois de contados os votos nos 13 distritos do país.

Segundo o STAE, o CNRT obteve 172.831 votos (36,66 por cento) e terá 30 deputados no parlamento.

A Fretilin, do antigo primeiro-ministro Mari Alkatiri, obteve 147.786 votos (28,87 por cento) e ficou em segundo lugar com 25 deputados.

Em terceiro, segundo os resultados provisórios do STAE, ficou o PD, do atual presidente do parlamento Fernando La Sama de Araújo, com 48.581 votos (10,39 por cento) e 10 deputados e na quarta posição a Frente Mudança com 14.648 votos (3,11 por cento) com dois deputados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG