Mundo

Vaga de frio nos EUA obriga a medidas excecionais

Vaga de frio nos EUA obriga a medidas excecionais

O centro, o norte e o leste dos EUA estão a sofrer uma corrente de ar frio que fez baixar as temperaturas a níveis inéditos desde há mais de vinte anos e obrigou inúmeros Estados a tomarem medidas excecionais.

Esta vaga de frio vinda do Pólo Norte, acompanhada por neve e chuva gelada, já causou uma dezena de mortos em menos de uma semana. O frio estende-se desde o norte dos EUA e do Canadá vizinho até ao norte central, o designado Midwest, e ameaça regiões mais a sul, que têm sido poupadas tradicionalmente a estas intempéries, como os Estados do Tennessee e Alabama.

A temperatura mais baixa registada até ao presente foram 53.º graus Celsius negativos no Estado do Montana, no noroeste do país, na segunda-feira, que compara com uma 'normalidade' de 34.º graus Celsius negativos no Pólo sul.

Os serviços de meteorologia norte-americanos previam para esta segunda-feira quedas de neve desde o Estado do Missouri até às regiões dos Grandes Lagos, com o nordeste dos EUA a preparar-se para a passagem da vaga de frio na noite de segunda-feira.

Os meteorologistas alertam que "estas temperaturas, combinadas com ventos fortes, vão cair para níveis potencialmente mortais".

As temperaturas previstas causam lesões graves na pela ao fim de alguns minutos apenas de exposição, com os serviços oficiais a aconselharemos norte-americanos a ficarem em casa.

"Pedimos aos trabalhadores do município considerados não essenciais para que ficassem em casa", disse a porta-voz da autarquia de Milwaukee, Sarah DeRoo, situada nas margens do lago Michigan, onde a temperatura, no início do dia, era de 37.º graus Celsius negativos.

Acrescentou que a polícia está a patrulhar à procura de sem-abrigo para os dirigir para o refúgio mais próximo.

No condado de Cook, que engloba a maior parte de Chicago, foram instalados centros de acolhimento nos quais "todas as pessoas podem aquecer-se, por exemplo em caso de [sistema de] aquecimento defeituoso", disse outra porta-voz, Natalia Derevyanny, à AFP.

As escolas do Minnesota permaneceram fechadas hoje e numerosas autarquias em outros Estados também pediram aos pais que ficassem com as crianças em casa, em vez de arriscarem o seu envio para a escola.

"Estamos perante uma combinação muito perigosa de temperaturas muito baixas, gelo e neve", realçou o governador do Estado do Illinois, Pat Quinn, que declarou o estado de emergência e pediu aos habitantes para não saírem de casa.

Vários aeroportos foram afetados, com o sítio da internet especializado em tráfego aéreo FlightAware a recensear mais de 3.600 voos cancelados e cinco mil atrasados.

Mas o pior está para vir, adiantam várias fontes, que esperam novos recordes de frio até terça-feira.

Espera-se que faça mais frio em Atlanta, no estado da Geórgia, a grande cidade do sul, a 1.200 quilómetros de Chicago, do que na maior cidade do Estado do Alasca, Anchorage, segundo a CNN.

Outras Notícias