Copenhaga

Três mortos em tiroteio em centro comercial. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Três mortos em tiroteio em centro comercial. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Pelo menos três pessoas morreram num tiroteio no centro comercial Field's, em Copenhaga, capital da Dinamarca, revelou a polícia. Uma pessoa foi detida.

O chefe da polícia de Copenhaga, Soeren Thomassen, anunciou que um jovem dinamarquês de 22 anos foi detido. Desconhece-se, para já, o motivo do ataque, mas a polícia não descarta a possibilidade de que o incidente esteja relacionado com terrorismo. Não há indicação da existência de mais atiradores.

A polícia confirmou que pelo menos três pessoas morreram no ataque e há outras três em estado crítico. As vítimas mortais são um homem de 40 anos e dois jovens.

PUB

O principal hospital da capital, o Rigshospitalet, recebeu um "pequeno grupo de pacientes" para tratamento, possivelmente mais de três, de acordo com a agência Reuters.

Fotografias difundidas nas redes sociais mostram agentes da polícia fortemente armados e várias ambulâncias.

"Ataque cruel"

O primeiro alerta foi dado às 17.36 horas locais (16.36 horas em Portugal continental. Segundo testemunhas, as pessoas que se encontravam dentro do centro comercial entraram em pânico quando começaram a soar tiros. Clientes do centro comercial revelaram ter ouvido entre três a quatro disparos.

"Não se sabia o que estava a acontecer. De repente, havia caos em todo o lado", disse Emilie Jeppesen, em declarações ao jornal local "Jyllands-Posten". Uma outra testemunha, Mahdi Al-Wazni, disse à "TV 2" que o atirador tinha uma "espingarda de caça".

"A Dinamarca foi atingida por um ataque cruel na noite de domingo. Vários foram mortos. Ainda mais feridos. Famílias inocentes a fazer compras ou a comer fora. Crianças, adolescentes e adultos", disse a primeira-ministra Mette Frederiksen, em comunicado. "A nossa bela e geralmente tão segura capital ficou alterada numa fração de segundos. Quero encorajar os dinamarqueses a unirem-se e a apoiarem-se uns aos outros neste momento difícil".

A autarca da cidade, Sophie Andersen, escreveu, no Twitter, que ainda não se conhece o número de mortos ou feridos, mas a situação "é muito grave".

Field's é o maior centro comercial da Dinamarca, com mais de 140 lojas e restaurantes. Todas as estradas na zona do centro comercial e a linha de metro que o liga ao centro da cidade foram fechadas e equipas de ambulância e bombeiros estão no local. A área do centro comercial foi isolada e está a ser igualmente vigiada por um helicóptero.

Harry Styles cancela concerto na cidade

O cantor britânico Harry Styles tinha um concerto marcado para a noite deste domingo num local a 1,6 quilómetros do centro comercial. A organização disse, inicialmente, à agência Reuters que o espetáculo ia ser realizado após estreita coordenação com a polícia local, mas acabou por ser cancelado.

"Estou com o coração partido juntamente com a população de Copenhaga. Adoro esta cidade. As pessoas são tão calorosas e cheias de amor. Estou devastado pelas vítimas, as suas famílias e todos os feridos. Lamento não podermos estar juntos. Por favor, cuidem uns dos outros", escreveu, no Twitter.

Um evento no sul da Dinamarca para comemorar o fim das três primeiras etapas da corrida de ciclismo do Tour de France, organizado pelo príncipe herdeiro dinamarquês e com a presença da primeira-ministra Mette Frederiksen, também foi cancelado, informou a Casa Real.

O ataque acontece depois de um tiroteio mortal na vizinha Noruega, na semana passada, no qual duas pessoas foram mortas por um atirador em Oslo. Zaniar Matapour, um norueguês de origem iraniana de 43 anos, é suspeito de ter matado dois homens, de 54 e 60 anos, e ferido outros 21 num tiroteio perto de um bar homossexual no centro de Oslo, na noite de sexta-feira passada, quando se realizavam várias celebrações de Orgulho LGBTQ+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans, Queer e outros). Foi colocado em prisão provisória por quatro semanas.

O último grande ataque terrorista na Dinamarca ocorreu em 2015, quando duas pessoas morreram e seis polícias ficaram feridos durante um ataque a um centro cultural e uma sinagoga em Copenhaga. O atirador foi abatido posteriormente num tiroteio com a polícia. A ameaça terrorista contra o país é atualmente avaliada como "séria", com a maior ameaça a surgir do "islamismo militante", de acordo com o último relatório do Serviço de Segurança e Informações Dinamarquês. A ameaça à Dinamarca de extremistas de direita é considerada num nível "geral", o que significa que há capacidade e/ou intenção e possivelmente planeamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG