Espanha

Dois portugueses feridos no incêndio num barco na Galiza

Dois portugueses feridos no incêndio num barco na Galiza

Pelo menos dois portugueses ficaram feridos no incêndio que deflagrou num catamarã em Pontevedra, na Galiza, esta terça-feira. A bordo estavam 52 pessoas.

O fogo deflagrou às 16.15 horas locais (15.15 horas em Portugal continental).

O barco estava a fazer a ligação entre a ilha de A Toxa e o porto de O Grove, na ria de Arousa, Pontevedra, quando começou a arder.

"Confirmam-se dois cidadãos portugueses que tiveram ferimentos e foram ao hospital de Pontevedra mas já tiveram alta", disse ao JN fonte do do gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro.

"O cônsul de Portugal em Vigo continua em diálogo com as autoridades para apurar mais informação, havendo a possibilidade de existirem mais portugueses entre os passageiros da embarcação", acrescentou a mesma fonte ao JN

O incêndio no catamarã causou 37 feridos, cinco com gravidade, entre os quais dois com a classificação médica de "queimaduras graves", segundo a agência noticiosa espanhola Efe.

As duas vítimas mais graves - um casal de 70 e 60 anos - foram transportadas de helicóptero para o Complexo Hospitalar Universitário da Corunha (CHUAC). Os outros três feridos graves, que também apresentam queimaduras consideráveis, foram levados para o hospital Montecelo, em Pontevedro, segundo confirmou fonte da autarquia de O Grove.

Os demais 32 feridos foram atendidos por queimaduras ligeiras, princípio de hipotermia e ataques de ansiedade e 14 pessoas saíram ilesas, segundo a Efe, que refere a existência de 51 pessoas a bordo do catamarã, enquanto a Agência Galega de Emergências (AXEGA) assinalou 52 pessoas, quatro das quais são tripulantes da embarcação. Fonte da Guardia Civil tinha indicado anteriormente que entre os passageiros encontravam-se oito crianças.

De acordo com o jornal "La Voz de Galicia", alguns passageiros atiraram-se para a água e outros foram resgatados por barcos turísticos e barcos particulares que se encontravam na zona.

As forças de segurança espanholas já avançaram diversas causas para o acidente, como uma explosão no interiordo catamarã relatada por várias testemunhas, que terá levado a uma colisão contra uma embarcação mais pequena.

Outra hipótese levantada é a de o incêndio ter deflagrado depois de uma colisão do catamarã com a embarcação.

No local compareceram equipas da Proteção Civil de O Grove, Vilagarcía, Caldas e Cambados, ambulâncias, Guarda Civil, polícia local, bombeiros, equipas de Resgate Marítimo e dois helicópteros, que participaram nas operações de resgate.

Outras Notícias