Polícia

Três mortos e cinco feridos em ataque com faca na Alemanha

Três mortos e cinco feridos em ataque com faca na Alemanha

Um ataque com faca perpetrado esta sexta-feira por um homem na cidade de Wuerzburg, no sul da Alemanha, fez três mortos e cinco feridos graves.

A porta-voz da Polícia, Kerstin Kunick, citada pela agência Associated Press (AP), referiu que as forças de segurança foram alertadas por volta das 17 horas locais (16 horas em Portugal continental) para um ataque com arma branca na praça Barbarossa, no centro de Wuerzburg, uma cidade com cerca de 130 mil habitantes localizada entre Munique e Frankfurt.

O suspeito foi detido, pelo que, a situação já não representa qualquer perigo para a população, informou a Polícia. Trata-se de um homem de 24 anos, natural da Somália, com registo de comportamento violento e instabilidade mental que recebeu, recentemente, tratamento psiquiátrico, ainda de acordo com as autoridades.

O ministro do Interior, Joachim Herrmann, revelou que cinco feridos estão em estado grave.

Polícia investiga motivo do ataque

As autoridades continuam este sábado a procurar o motivo por detrás do ataque de sexta-feira na cidade alemã de Wuerzburg.

PUB

O suspeito, um somali de 24 anos, foi alvejado na perna pela polícia e preso depois do ataque de sexta-feira à tarde no centro da cidade do sul.

A polícia informou que a vida do somali não está em perigo e que estava a ser interrogado num hospital.

Um alto funcionário de segurança da Baviera, Joachim Herrmann, disse que o suspeito era conhecido pela polícia e tinha sido admitido numa unidade psiquiátrica alguns dias antes.

Herrmann disse à agência de notícias dpa na sexta-feira à noite que não podia descartar um motivo extremista islâmico porque uma testemunha tinha relatado ter ouvido o suspeito gritar "Allahu akbar", "Deus é grande" em árabe.

O homem vive em Wuerzburg desde 2015, mais recentemente num abrigo para os sem abrigo.

Aparentemente, o suspeito não conhecia as vítimas.

Vídeos publicados nos meios de comunicação social mostravam peões a cercar o agressor e a tentar segurá-lo à distância com cadeiras e paus.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG