Venezuela

Venezuela recebeu pedido formal de asilo de Snowden

Venezuela recebeu pedido formal de asilo de Snowden

A Venezuela anunciou na segunda-feira que recebeu um pedido formal de asilo do ex-técnico da CIA Edward Snowden, procurado por Washington depois de ter revelado uma rede de espionagem global.

Snowden, que se encontra na zona de trânsito do aeroporto de Moscovo desde 23 de junho, respondeu assim à oferta de "asilo humanitário" que foi feita pelo Presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

"Chegou-nos uma carta de pedido de asilo" de Snowden, disse Maduro aos jornalistas depois de uma reunião com o homólogo do Panamá, Ricardo Martinelli, no palácio do Governo em Caracas.

Snowden "terá que decidir quando voará para cá", acrescentou.

Maduro anunciou publicamente a sua oferta de "asilo humanitário" ao ex-técnico da CIA na sexta-feira.

"Já são vários os países da nossa América Latina que dizem a este jovem, que está a ser perseguido pelo império, venha para cá", disse Maduro, referindo-se a outras ofertas semelhantes que foram dirigidas a Snowden pela Bolívia e pela Nicarágua.

O Presidente venezuelano garantiu que não falou com Snowden, mas que "gostaria" de o fazer.

Washington alertou na segunda-feira que não deve ser permitida a partida de Snowden para outro país que não seja os Estados Unidos, em resposta às ofertas de asilo que o jovem tem recebido da América Latina.

Maduro defendeu que os "Estados Unidos não governam o mundo" e que a Venezuela "é um país livre e soberano".

Snowden, de 30 anos, abandonou Hong Kong a 23 de junho com destino à capital russa e já pediu asilo a 27 países, segundo o Wikileaks, depois de ter revelado uma rede de espionagem das comunicações telefónicas e Internet pelos Estados Unidos.

Neste momento, Snowden encontra-se em Moscovo sem passaporte, já que este foi revogado pelas autoridades norte-americanas, mas basta-lhe um documento de viagem que sirva como salvo-conduto para chegar ao seu destino.

Este norte-americano é acusado de violar a lei de espionagem dos Estados Unidos depois de ter revelado detalhes sobre os programas secretos de vigilância de registos telefónicos e de comunicações na Internet.

A Rússia já garantiu que não entregará o jovem aos Estados Unidos, que reclama a sua extradição, mas impôs como condição que Snowden ponha fim às suas atividades e revelações contra os Estados Unidos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG