ONU

Venezuela ultrapassa os seis milhões de emigrantes

Venezuela ultrapassa os seis milhões de emigrantes

A plataforma da ONU que coordena o atendimento aos emigrantes e refugiados da Venezuela confirmou que mais de seis milhões de pessoas abandonaram o país, nos últimos anos.

Segundo números da Organização das Nações Unidas (ONU),Mais de seis milhões de pessoas abandonaram a Venezuela, nos últimos anos, em resultado da crise política, social e económica no país.

É nos países sul-americanos que os emigrantes venezuelanos mais têm procurado abrigo: de acordo com a só na Colômbia, Plataforma Regional de Coordenação Interagencial, criada para coordenar a resposta da ONU ao fluxo migratório venezuelano, foram registadas mais de 2.1 milhões de pessoas provenientes da Venezuela; o Peru conta cerca de um milhão; e o Chile e o Equador superam as 450 mil.

A crise migratória venezuelana é considerada uma das mais graves do mundo, apenas superada pela da Síria. O representante para as questões humanitárias do gabinete formado pelo opositor Juan Guaidó, Miguel Pizarro, comunicou, nas redes sociais, na quinta-feira, que, em dez venezuelanos, dois estão fora do país. "A nossa crise migratória não é resultado de uma guerra como é o caso da Síria", notou, avisando ainda que "as projeções indicam que até 2022, o número de venezuelanos fora do país possa superar os sete milhões".

Estão a decorrer, nestes dias, novas negociações no México entre a oposição e o governo de Nicolás Maduro com o objetivo de diminuir o fluxo migratório em massa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG