Ciência

Ventos a 150 km por segundo. Sonda espacial entra pela primeira vez na atmosfera do Sol

Ventos a 150 km por segundo. Sonda espacial entra pela primeira vez na atmosfera do Sol

A sonda espacial "Parker" entrou pela primeira vez na atmosfera solar num ambiente, que regista uma temperatura a um milhão de graus, e com ventos a 150 km por segundo.

É um grande passo para a humanidade e poderá ditar o futuro do nosso conhecimento sobre o Sol. A sonda espacial "Parker" da NASA entrou na atmosfera solar e já traz alguns resultados sobre esta operação.

Esta quarta-feira foram publicadas algumas conclusões desta viagem, sendo um que dos principais objetivos da missão da NASA é entender porque as camadas superficiais da atmosfera solar (corona) são afinal mais quentes do que algumas zonas no interior da estrela.

O local que a sonda percorreu pode alcançar uma temperatura de um milhão de graus e ventos a 150 quilómetros por segundo.

Do tamanho de um carro e revestida com um escudo térmico com cerca de 11 centímetros de espessura e feito de carbono, a sonda consegue suportar até 1400 graus.

Um dos resultados mais inesperados foi a força quase esmagadora dos ventos solares, uma onda de partículas que se desloca em todas as direções.

"Numa questão de minutos, o vento duplica a sua velocidade", explica Justin Kasper, físico da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, citado pelo "El País".

O também coautor do estudo publicado esta quarta-feira esclarece que o vento solar pode formar-se em rajadas, que se explicam pela intensidade do campo magnético do Sol.

Ainda há poucas respostas que se possam dar sobre os fenómenos observados. Porém, nos próximos anos espera-se que a sonda "Parker", ou outras que se sigam, possam aproximar-se cada vez mais e quem sabe tocar o Sol.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG