Mundo

Versões contraditórias levantam dúvidas sobre como morreu Kadafi

Versões contraditórias levantam dúvidas sobre como morreu Kadafi

Muammar Kadafi está morto, anunciou o novo Governo líbio. O ex-líder foi capturado esta quinta-feira, em Sirte, após uma batalha em que os rebeldes conquistaram finalmente o último reduto das forças leais ao ditador. O coronel ficou ferido e acabou por morrer em circunstâncias por esclarecer oficialmente.Imagens do cadáver sugerem que o ex-líder líbio foi executado.

Kadafi terá ficado ferido esta manhã num ataque ao seu reduto em Sirte. Militares leais levaram, então, o ex-ditador para uns esgotos nas imediações, para o proteger. Foi este o local onde foi capturado, a gritar "não disparem, não disparem".

Mas as certezas acabam aqui. Muammar Kadafi terá morrido a caminho do hospital, embora subsistam dúvidas quanto às circunstâncias que rodearam a sua morte. Um vídeo transmitido por cadeias de televisão árabes mostra o ditador ainda vivo, rodeado de rebeldes, que empunhavam armas e o empurravam enquanto era retirado de uma carrinha. Kadafi estava visivelmente ferido mas ainda andava pelo seu pé. Nessa altura, o comandante Mohamed Leith, do CNT disse à Reuters: "Foi capturado. Está ferido em ambas as pernas e foi levado de ambulância para o hospital". Mas informações posteriores deram conta que Kadafi tinha acabado por morrer supostamente devido aos ferimentos que tinha sofrido durante a sua detenção. A confirmação de que Kadafi estava de facto morto foram suportadas por fotografias e por um vídeo que mostram o cadáver do ex-líder líbio e que indiciam que afinal o antigo líder líbio poderá ter sido executado. Um outro vídeo, entretanto surgido no Youtube, mostra imagens chocantes de um grupo de rebeldes a rodear o corpo de Kadafi, enquanto o exibem violentamente para a câmara.

O anúncio feito pelo chefe militar do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia, Bel Haj, e pelo ministro da Informação do novo Governo líbio,Mahmoud Shammam, deu caracter oficial à informação de que Kadafi tinha morrido, mas nada esclareceu sobre as circunstâncias da sua morte. Os líderes do CNT apenas mantiveram que o ex-líder líbio tinha morrido na sequência da sua captura, devido aos ferimentos sofridos.

Mas segundo a Reuters, que cita uma fonte não identificada do CNT, Kadafi foi mesmo executado logo após o momento mostrado no primeiro vídeo. "Capturam-no vivo, espacaram-no e depois mataram-no. Isto é uma guerra", referiu a mesma fonte.

Não existe, no entanto, nenhuma explicação que esclareça definitivamente a forma como o ditador morreu. Face às dúvidas, a Amnistia Internacional pediu uma investigação independente sobre as circunstâncias da morte do líder líbio. Em comunicado, a AI pediu ao Conselho Nacional de Transição (CNT) que divulgue todos os detalhes da morte de Kadhafi e promova uma "investigação independente e imparcial para estabelecer as circunstâncias da morte de Kadafi".

Mohamed Abdel Kafi, um dirigente do CNT, disse que o corpo de Kadafi foi levado para a cidade de Misrata, e foi depositado para um local secreto, por razões de segurança.

Festa na Líbia

Os festejos espalharam-se por toda a Líbia. Segundo a Aljazeera, um dos filhos do ex-dirigente, Mo'Tassim, foi capturado em Sirte, vivo. Ao todo, terão sido detidos 17 acólitos do ex-líder.

O ministro da justiça do Conselho Nacional de Transição (CNT) líbio anunciou também que Seif al-Islam, filho do ex-líder Muammar Kadafi e considerado um dos seus potenciais sucessores, foi capturado ferido e encontra-se hospitalizado.

Segundo um jornalista da AFP, no terreno, o antigo chefe dos Serviços Secretos e da Administração Interna, Mansour Daou, foi também ferido e capturado.

O ministro da Defesa do antigo regime, Aboubakr Younès Jaber, foi também morto, esta quinta-feira de manhã, em Sirte. Segundo um médico citado pela AFP, Abdou Raouf, "o corpo de Aboubakr Younès Jaber foi identificado" entre os cadáveres que foram levados, numa carrinha, para o hospital de campanha de Sirte.

O anúncio da captura de Muammar Kadafi foi feito cerca de uma hora depois da tomada de Sirte, o último reduto dos leais ao antigo líder líbio, deposto pelas tropas rebeldes a 23 de Agosto, após 42 anos no poder.

"Sirte foi libertada. Não há mais forças de Kadafi aqui", disse o coronel Yunus al Abdali, chefe das operações militares na parte oeste da cidade. "Estamos a seguir os guerrilheiros que estão a tentar fugir", acrescentou, pouco depois de anunciar a tomada da cidade, ainda antes de ser conhecida a captura de Kadafi.

Com a tomada de Sirte, o CNT pode começar a forjar o novo sistema democrático, cujo arranque ficou prometido para depois da conquista da cidade-natal do ex-líder Líbio.

Centenas de rebeldes juntaram-se nas ruas de Sirte a gritar "Allahu Akbar" (Deus é grande), a disparar armas para o ar e dançar. "É o melhor dia da minha vida. A cidade está livre dos criminosos de Kadafi", disse um combatente, Al Sharash Thawban, de 65 anos.

"A Líbia está livre, de Este a Oeste", chorava um jovem militar, natural de Tripoli, ouvido pela agência Reuters. "Espero ir para casa agora, Quero ver a minha mãe", disse Malik Al Gantri.