China

Tratadores criticados por alegados maus-tratos a pandas

Tratadores criticados por alegados maus-tratos a pandas

Um vídeo divulgado esta semana mostra dois tratadores a atirar e arrastar crias de panda gigante num centro de pesquisa da espécie, em Chengdu, na província chinesa de Sichuan. O incidente gerou crítica perante alegações de maus-tratos.

No vídeo, que terá sido captado no início do mês, é possível ver dois funcionários a arrastar e a atirar as crias, em diferentes ocasiões.

O motivo terá sido a violência dos animais, justificou um dos tratadores envolvidos. Em declarações à agência noticiosa Xinhua, Guo Jingpeng, explicou que foi mordido enquanto os alimentava e que a reação de afastar os animais foi instintiva.

"A cria mordeu a minha mão com muita força. Enfiou os dentes e a minha mão começou a sangrar", afirmou. "Quando me tentou morder novamente, instintivamente empurrei-o para longe".

A violência do panda gigante é atestada por Wu Kongju, um especialista na espécie. O homem considera que a reação foi "exagerada", mas não acredita que os funcionários tivessem a intenção de magoar as crias. "Ainda que os pandas gigantes pareçam fofos, eles são muito fortes e podem ser violentos", explicou.

"A comunidade online alega que nós não gostamos de pandas. Mas nós escolhemos ficar e trabalhar aqui porque adoramos estes animais", disse o tratador Guo Jingpeng, em declarações à imprensa local.

Os dois tratadores terão sido entretanto "criticados e educados", pelo próprio centro de pesquisa, que, de acordo com a agência Xinhua, considerou o incidente "inapropriado". A instituição terá ordenado que os funcionários tratem os pandas "docilmente", mesmo que os animais arranhem ou mordam.

O panda gigante é tido como um símbolo da China. É uma espécie altamente protegida pelo governo e acarinhada pelo público.

No site chinês "Sina Weibo", vários utilizadores exigiram a demissão dos tratadores. "Eu não quero saber o que ele diz. Eles eram apenas bebés", escreveu Loo Jiaying.

Outro utilizador questionou a própria instituição. "Nós sempre pensámos que o centro de Chengdu foi criado para salvar o animal do nosso país. No passado, fez um trabalho incrível. Mas este incidente mudou definitivamente a minha opinião", escreveu.

O Centro de Pesquisa de Reprodução do Panda Gigante de Chengdu, na província de Sichuan, dedica-se à conservação da espécie.

Em 2016, o panda gingante deixou de ser considerado uma espécie "ameaçada" para passar a ser tida apenas como "vulnerável", de acordo com a União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN, sigla inglesa).

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG