O alpinista Alain Robert, conhecido como o "homem-aranha francês", escalou esta terça-feira com as próprias mãos uma torre com cerca de 190 metros nos arredores de Paris para protestar contra o passe sanitário.

Protesto

"Homem-aranha francês" escala arranha-céus contra o passe sanitário

"Homem-aranha francês" escala arranha-céus contra o passe sanitário

Pela décima primeira vez na sua "carreira", o famoso alpinista de 59 anos, escalou a torre Total Coupole, de 187 metros de altura, numa subida de "dificuldade média", explicou Robert à imprensa.

Normalmente solitário, foi acompanhado, pela primeira vez, por três jovens alpinistas de 21, 28 e 33 anos, que consideraram ser uma "honra" participar nesta ação com uma lenda.

Depois de pouco mais de uma hora de subida, sem equipamento e simplesmente com "correias" nos dedos, "o homem-aranha" foi preso e levado sob custódia ao meio-dia por "colocar em perigo a vida de outras pessoas", notou um jornalista da AFP.

"É uma subida contra o passe sanitário, que irrita toda a gente. É um atentado às liberdades fundamentais, este passe é uma vergonha", explicou Alain Robert antes de começar a sua escalada.

"É também uma homenagem a Jean-Paul Belmondo, que fez as suas próprias acrobacias", acrescentou, no dia a seguir à morte, aos 88 anos, do ator francês.

Alain Robert ficou famoso em todo o mundo por ter escalado com as mãos, geralmente sem qualquer segurança e principalmente sem autorização, mais de uma centena de arranha-céus e outros monumentos urbanos.

Em março de 2020, subiu ao topo da torre Agbar, em Barcelona, para protestar contra o medo pelo novo coronavírus, que provoca a covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG