O Jogo ao Vivo

Uma mulher entrou em trabalho de parto depois de ter sido resgatada pela Polícia Marítima portuguesa, durante uma missão na ilha de Lesbos, na Grécia.

Grécia

Mulher entra em trabalho de parto após ser resgatada pela Polícia Marítima

Mulher entra em trabalho de parto após ser resgatada pela Polícia Marítima

Quando chegou a terra, a grávida foi acompanhada de imediato por médicos de uma organização não-governamental e depois foi transportada para o hospital.

A Polícia Marítima, em missão na ilha de Lesbos, resgatou na noite de sexta-feira 33 migrantes, dos quais 10 crianças, 12 mulheres e 11 homens.

​Em comunicado, a Polícia Marítima informa que uma equipa de "vigilância costeira detetou, pelas 21 horas, um eco junto da linha de fronteira em direção à região de Molivos/Eftalou, tendo transmitido as coordenadas à equipa na embarcação 'Arade', que navegou para o local, confirmando, pelas 21.20 horas, que se tratava de um bote com 33 migrantes".

"Durante a abordagem ao bote, para se proceder ao transbordo dos migrantes para a embarcação da Polícia Marítima, uma das pessoas que nele se encontrava furou a proa, o que provocou o pânico generalizado, tendo alguns deles saltado para a água", lê-se no comunicado.

A Polícia Marítima procedeu ao resgate imediato de todos os migrantes e levou-os até ao porto de Skala Skamineas, "onde foram desembarcados e entregues às autoridades gregas em segurança".

Aquela autoridade informa ainda que "nas últimas 48 horas resgatou 40 crianças, 21 mulheres e 21 homens das águas gregas". Desde 2014, quando iniciou a participação na missão Poseidon, na Grécia, já resgatou 6460 migrantes.

A Polícia Marítima integra a operação Poseidon, sob égide da agência europeia Frontex e em apoio à Guarda Costeira grega, "com o objetivo de controlar e vigiar as fronteiras marítimas gregas e externas da União Europeia, no combate ao crime transfronteiriço, no âmbito das funções de guarda costeira europeia".

Outros Artigos Recomendados