Justiça

Violou a filha durante dois anos e foi condenado a 27 anos de prisão na Guatemala

Violou a filha durante dois anos e foi condenado a 27 anos de prisão na Guatemala

Eliza (nome fictício) foi violada pelo pai desde os 12 anos, durante dois anos, na Guatemala. O homem foi condenado a 27 anos e oito meses de prisão na terça-feira.

O pai de Eliza, Armando Filiberto Vaidez Juaréz, de 56 anos, que era professor, violou e abusou sexualmente a filha durante dois anos. No ano passado, a jovem falou com a mãe sobre as agressões e ambas denunciaram o homem às autoridades.

O processo foi concluído na terça-feira, com a condenação a 27 anos e oito meses de prisão por violação e agressão sexual.

A advogada de Eliza, Lilián Vásquez, realçou que foi comprovado que o homem violou e agrediu sexualmente a filha "utilizando todo o conhecimento, força e confiança que tinha sobre a vítima de 12 anos". Adianta ainda que, apesar de ter sido denunciado, continuava a trabalhar na Direção do Departamento de Educação e marcava presença em todas as reuniões regionais no âmbito da prevenção da violação de crianças e gravidez de meninas e jovens.

"Para nós, esta pena é um motivo para festejar porque, assim, pudemos transmitir às meninas de Alta Verapaz uma mensagem de esperança que sim, há justiça", reforçou a advogada.

Por outro lado, Lilián Vásquez admitiu que não está satisfeita com a sentença, visto que o pai foi inicialmente condenado a 66 anos e quatro meses de prisão por três crimes de violação e um de agressão sexual com agravamento da pena, mas foi absolvido de duas violações, porque a filha não conseguiu determinar a data exata das duas violações.

A advogada considerou ainda que esta sentença "abre a porta" para que haja justiça para os 22 casos denunciados desde 2018 ao departamento de Alta Verapaz. No total, são 69 meninas e adolescentes vítimas de violações e agressões sexuais por parte de professores e diretores de escola em Alta Verapaz.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG