EUA

Virgínia anuncia remoção do pedestal onde estava estátua do general Robert Lee

Virgínia anuncia remoção do pedestal onde estava estátua do general Robert Lee

O governador da Virgínia, Ralph Northam, anunciou, este domingo, que a sua administração vai remover o enorme pedestal onde se encontrava uma estátua do general confederado Robert E. Lee, em Richmond.

Com este anúncio, o governador democrata volta atrás na afirmação feita em setembro passado, na altura em que a estátua do general sulista Robert Lee, símbolo do passado esclavagista do país, foi removida. Northam afirmou então que o pedestal de 12 metros, atualmente coberto de 'graffitis', permaneceria no local.

A administração de Ralph Northam anunciou também a intenção de transferir a propriedade da ilha relvada, no meio de uma rotunda, onde a estátua estava localizada para a cidade de Richmond.

A mudança ocorre cerca de um mês antes de Northam deixar o cargo e de o governador republicano eleito Glenn Youngkin, que manifestou menos entusiasmo com a remoção da estátua, ser empossado.

"Era importante para nós fazer isto agora e antes de deixarmos o cargo", disse a porta-voz de Northam, Alena Yarmosky, citada pela agência AP.

A escritura da propriedade, que foi entregue à comunidade no século XIX, era um pedido feito pela cidade, por forma a que o lote pudesse ficar sob controle local, disse Yarmosky. Segundo explicou, a propriedade estatal criou problemas a nível logístico, de manutenção e de segurança.

Segundo um comunicado enviado aos media, os trabalhos preliminares para remoção do pedestal deverão começar na segunda-feira, prevendo-se que a operação esteja "praticamente concluída" em 31 de dezembro.

PUB

A estátua de Robert Lee, uma peça equestre única, de bronze, instalada em 1890, estava implantada no meio de uma rotunda e era parte de uma coleção de outras estátuas confederadas existentes ao longo da histórica Avenida Monument, em Richmond.

A estátua, que mereceu fortes críticas por ser considerada um símbolo de injustiça racial, foi derrubada em setembro, numa iniciativa aplaudida por muitos dos que assistiram à operação.

Ralph Northam ordenou a sua remoção no verão de 2020, dias após a morte, em Minneapolis, de George Floyd, asfixiado debaixo do joelho de um polícia branco, o que deu origem a movimentos de protesto em todo o país. Contudo, o litígio judicial iniciado por apoiantes da manutenção da estátua no local adiou os planos do governador até setembro passado.

"Em 2020 não podemos mais honrar um sistema que se baseava na compra e venda de escravos", disse Northam quando anunciou a sua decisão de remover a estátua.

O dia em que esta foi retirada, disse o governador, marcou "um novo dia, uma nova era na Virgínia".

A estátua de Lee era uma das cinco enormes estátuas erguidas como homenagem aos confederados ao longo da Monument Avenue, em Richmond, e a única que pertencia ao Estado. As quatro estátuas de propriedade da cidade também foram removidas após a morte de Floyd, depois de se terem tornado foco de vários protestos.

Em setembro, Northam disse que o pedestal permaneceria no local para que o seu futuro pudesse ser determinado por um esforço comunitário para 'reimaginar' a Monument Avenue, numa iniciativa liderada por um museu de artes e que se encontra atualmente numa fase ainda muito inicial.

"Este terreno fica no meio de Richmond e os habitantes de Richmond determinarão o futuro deste espaço", anunciou hoje Ralph Northam. Segundo acrescentou, as peças do pedestal ficarão armazenadas até que sejam decididos os próximos passos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG