Mundo

Vulcão em Cabo Verde atinge "grau de catástrofe"

Vulcão em Cabo Verde atinge "grau de catástrofe"

A lava do vulcão que, desde domingo, se alastra pela ilha do Fogo, em Cabo Verde, já destruiu dezenas de casas e campos de cultivo em Chã das Caldeiras e chegou ao centro de operações de segurança.

O primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, esteve na ilha do Fogo e disse que a situação já atingiu o "grau de catástrofe". Para já, foi decidido que as autarquias vão abrir contas bancárias para recolha donativos com o objetivo de ajudar as populações afetadas.

"Vamos elaborar um plano de médio e longo prazo, porque praticamente vai haver uma destruição de Chã das Caldeiras", disse, o primeiro-ministro, citado pela "Fogo News", à saída de uma reunião com as autoridades da ilha do Fogo. O responsável garantiu que as equipas da Proteção Civil e da Cruz Vermelha, assim como outras agências, vão continuar no terreno a prestar apoio à população, garantindo que "evacuação foi muito bem sucedida".

Neste momento, a prioridade passa por garantir alojamento e alimentação às pessoas que perderam as suas casas ou tiveram que as abandonar pela aproximação da lava.

As autoridades apelam ao apoio de todos, lembrando que há muitas crianças nos três centros de acolhimento em Mosteiros, Achada Furna e Monte Grande. Várias autarquias cabo-verdianas, como a do Sal, São Vicente e Santa Catarina já organizaram campanhas para recolha de donativos.

As sete bocas da erupção vulcânica uniram-se, provocando uma explosão de lava com a torrente a ter cerca de um quilómetro de largura e pondo em risco a povoação de Portela, em Chã das Caldeiras.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG