O Jogo ao Vivo

Londres

Westminster ameaça expropriar oligarcas russos e arrendar casas a custos controlados

Westminster ameaça expropriar oligarcas russos e arrendar casas a custos controlados

Casas compradas com "dinheiro sujo" em zona rica de Londres podem ser retiradas aos donos e usadas para habitação a custos controlados. O plano para ​​​​​​​vergar os oligarcas russos em Westminster "para lavar dinheiro" pode ser alargado a outras zonas da capital inglesa.

O concelho de Westminster, muito falado nos últimos dias por causa do funeral da rainha Isabel II, está a estudar a expropriação de casas cujo uso não esteja a ser aquele para que foram registadas, como parte de um projeto para limpar a "imagem de centro europeu de lavagem de dinheiro".

Segundo o jornal "The Guardian", o plano encontra vários obstáculos como a falta de transparência sobre a propriedade das habitações e de dados nos registos das empresas adquirentes. Mas Westminster não cede e está a ameaçar expropriar oligarcas russos e usar as casas para reduzir a lista de quatro mil pedidos para habitação controlada.

PUB

O total de casas registadas por russos aumentou 1200% em Westminster desde 2010. Oligarcas acusados de corrupção ou com ligações ao Kremlin compraram propriedades avaliadas em cerca de 500 milhões de euros em Westminster desde 2016, mais do que em qualquer outra zona do Reino Unido, segundo uma avaliação da Transparência Internacional britânica (ITUK, na sigla original).

"Westminter é um segredo sujo conhecido há muitos anos, mas os que têm poder olharam para o lado durante demasiado tempo enquanto dinheiro de proveniência questionável fluiu para Londres e os investidores tiraram partido de leis relativamente relaxadas", disse o líder do concelho de Westminster, Adam Hug, ao explicar a iniciativa.

"Foi preciso a guerra na Ucrânia para recentrarmos a atenção nos investimentos dos oligarcas e ver que Londres se transformou numa lavandaria de dinheiro sujo", disse o autarca. O problema "agravou-se com os capangas de Putin", acrescentou Hug, o primeiro trabalhista a liderar Westminster após 50 anos de domínio conservador.

"Não é segredo que os cleptocratas e aqueles que têm dinheiro para esconder investiram vastas somas no mercado habitacional de Westminster durante os últimos anos", disse Rose Zussman, do TIUK. "Esta promessa do concelho de Westminster de recuperar as casas expõe esses atos ilícitos", acrescentou.

Hug está a tentar juntar proprietários, especialistas e dirigentes da capital ao movimento "Westminster contra o dinheiro sujo". No bairro vizinho de Chelsea, segundo a TIUK, foram adquiridas propriedades no valor de cerca de 300 milhões de libras com dinheiro de proveniência suspeita. O autarca apelou ao governo para restringir o uso artificial de benefícios fiscais e aumentar o financiamento da Agência Nacional Anti-crime para combater a lavagem de dinheiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG