Ucrânia

Zelensky exorta resto do mundo a condenar "pseudo-referendos"

Zelensky exorta resto do mundo a condenar "pseudo-referendos"

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, exortou, esta sexta-feira, o resto do mundo a condenar os "pseudo-referendos" organizados pela Rússia em quatro territórios conquistados após a invasão à Ucrânia.

No seu discurso diário, Zelensky afirmou estar convencido de que "o mundo irá reagir com a maior justiça aos pseudo-referendos" e que estes "serão inequivocamente condenados".

Os referendos russos de anexação de territórios começaram hoje em quatro regiões da Ucrânia controladas total ou parcialmente por Moscovo.

PUB

Os escrutínios são descritos por Kiev e pelo Ocidente como "simulacros" e marcam uma nova fase da escalada do conflito que teve início em 24 de fevereiro.

Centenas de assembleias de voto deverão ser abertas nos quatro territórios e outras na Rússia, para permitir que os deslocados possam votar.

Os referendos sobre a adesão dos territórios ucranianos de Donetsk, Lugansk, Zaporijia e Kherson à Federação russa começaram hoje e decorrem até 27 de setembro, indicaram as autoridades pró-russas dessas regiões.

O anúncio oficial de realização dessas consultas populares para anexação dos territórios ucranianos sob ocupação russa foi feito num discurso à nação proferido na quarta-feira pelo Presidente russo, Vladimir Putin.

Os referendos foram anunciados juntamente com a mobilização de 300 mil reservistas russos para combater na Ucrânia e uma ameaça velada de utilização de armas nucleares contra o Ocidente.

A invasão russa -- justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG