Programa SURE

 Portugal recebe em breve 5,9 mil milhões de euros

 Portugal recebe em breve 5,9 mil milhões de euros

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, destacou hoje que Portugal irá receber "em breve" 5,9 mil milhões de euros ao abrigo do programa europeu SURE de combate ao desemprego causado pela pandemia de covid-19.

Numa mensagem divulgada na rede social Twitter após o encontro com o primeiro-ministro, António Costa, a líder do executivo comunitário destacou que Bruxelas está já "a agir para salvar empregos", indo Portugal "receber brevemente 5,9 mil milhões de euros ao abrigo do SURE, para manter as pessoas no trabalho".

Ursula von der Leyen adiantou ainda que Lisboa e Bruxelas vão cooperar "para fazer o melhor uso dos fundos Next Generation EU", um fundo de recuperação temporário, dotado de um orçamento de 750 mil milhões de euros.

António Costa entregou hoje à presidente da Comissão Europeia, em Bruxelas, o primeiro esboço do Plano de Recuperação e Resiliência, que tem como prioridades a criação de respostas sociais, com a aposta no Serviço Nacional de Saúde e na habitação, e a promoção do emprego através de mais investimento e competências.

Em julho passado, o Conselho Europeu aprovou um Quadro Financeiro Plurianual para 2021-2027 de 1,074 biliões de euros e um Fundo de Recuperação de 750 mil milhões para fazer face à crise gerada pela covid-19.

Entre os dois, Portugal deverá arrecadar cerca de 45 mil milhões de euros em subvenções no período de 2021 a 2029.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e oitenta e sete mil mortos e mais de 38,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.117 pessoas dos 91.193 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Outras Notícias