Carta conjunta

21 chefes de Estado pedem uma Europa com que todos se identifiquem

21 chefes de Estado pedem uma Europa com que todos se identifiquem

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, é um dos 21 signatários de uma carta conjunta que apela a uma Europa "forte e eficaz" e que se assuma como "líder mundial na transição para um desenvolvimento sustentável, neutro no que respeita ao clima e com suporte digital". O mote é a celebração do Dia da Europa, que se assinala domingo, 9 de maio.

Com o título "Falemos sobre a Europa", a carta conjunta, a que o JN teve acesso, reconhece que a pandemia suscitou muitas questões sobre o projeto europeu e "evidenciou as suas fraquezas". Ainda assim, os 21 chefes de Estado lembram que "os princípios fundamentais da integração europeia permanecem de extrema relevância nos dias de hoje". São eles: "liberdade, igualdade, respeito pelos direitos humanos, Estado de direito e liberdade de expressão".

"Ainda que a União Europeia pareça por vezes mal equipada para enfrentar os numerosos desafios que surgiram durante a última década - da crise económica e financeira aos desafios inerentes à luta por um sistema migratório justo e equitativo na UE e contra a pandemia em curso -, estamos conscientes de que a situação seria muito mais difícil para cada um de nós se estivéssemos sozinhos", pode ler-se na carta conjunta.

Os chefes de Estado aproveitam a ocasião do Dia da Europa, em simultâneo com a 'Conferência Futuro da Europa' - que começa nesse mesmo dia -, para apelar a uma profunda reflexão sobre a Europa, os seus princípios, fragilidades e o seu futuro. "Urge que falemos sobre todos estes assuntos", lê-se no documento.

"Precisamos de uma União Europeia com a qual todos nos possamos identificar, certos de que contribuímos plenamente para o bem-estar das gerações futuras. Juntos, podemos alcançá-lo", acreditam.

A Conferência Sobre o Futuro a Europa arranca dia 9 de maio e constitui "numa série de debates e discussões promovidos pelos cidadãos e que permitirão às pessoas de toda a Europa partilhar as suas ideias e ajudar a moldar o nosso futuro comum". A iniciativa tem como "centro nevrálgico" uma plataforma própria, através dela todos os europeus podem acompanhar a conferência, eventos a decorrer, e participar de forma ativa na discussão sobre o futuro da Europa. "Precisamos de pensar no nosso futuro comum; por conseguinte, convidamos-vos a juntarem-se à discussão e a encontrarmos, juntos, um caminho a seguir", apelam os signatários da carta conjunta.

Celebração do Dia da Europa é "especial"

PUB

Os chefes de Estado lembram que o Dia da Europa deste ano é "especial", pelas "circunstâncias desafiantes provocadas pela pandemia da covid-19". Dia 9 de maio celebra-se um "projeto sem precedentes na história". "O projeto europeu é um projeto de paz e reconciliação. Tem-no sido desde a sua conceção e continua a sê-lo até hoje. Defendemos uma visão estratégica comum para uma Europa plena, livre, unida e em paz."

Para celebrar o Dia da Europa o projeto "FAST FOWARD" quer estabelecer pontes entre os estados membros, e vai proporcionar momentos de divulgação artística que vão desde a música às artes ilustrativas. Também no mesmo dia, em Estrasburgo - França, entre as 14 e as 15.30 horas, decorrerá um evento com altos quadros da União Europeia, com intervenções de Emanuel Macron, presidente da republica francesa, David Maria Sassoli, presidente do Parlamento Europeu, António Costa, primeiro-ministro e presidente em exercício do Conselho da União, e Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia.

Os líderes europeus signatários da carta conjunta acreditam que a pandemia serviu para "recordar o que é verdadeiramente importante nas nossas vidas" e "suscitou questões sobre a forma como vivemos as nossas vidas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG